8/4/20
 
 
Campeonato. Sporting imune à gripe recusa adiar consulta no Bonfim

Campeonato. Sporting imune à gripe recusa adiar consulta no Bonfim

Laura Ramires 10/01/2020 10:32

V. Setúbal, com 14 jogadores no hospital, pediu adiamento do jogo com o Sporting. Leões mostraram-se indisponíveis, o que motivou a Liga Portugal a não adiar partida da 16.ª jornada.

“Na primeira semana do ano, o surto de gripe vai alastrar a todo o país”. O alerta nacional chegava no final de 2019 por parte do Despertador das Farmácias, barómetro da Associação Nacional de Farmácias (ANF), que antevê a atividade gripal a partir dos dados da dispensa de medicamentos. Pela mesma altura, também a Direção-Geral da Saúde (DGS) estimava que o pico da gripe seria atingido entre a última semana de dezembro e a primeira de janeiro de 2020.

Vem o tema a propósito do pedido formalizado, ontem, pelo Vitória de Setúbal, para o adiamento da partida com o Sporting, agendada para este sábado, no Estádio do Bonfim, referente à jornada 16 da Liga portuguesa. Em causa, explicava o conjunto setubalense, o surto gripal que afeta 90% do plantel. Antes, o clube, que ocupa o décimo lugar na tabela, já tinha tomado medidas, com o cancelamento do treino de quarta-feira, dia em que grande parte da equipa treinada por Julio Velázquez já se encontrava de baixa (75%). Os primeiros sintomas fizeram-se sentir ainda na semana passada, com os jogadores a queixarem-se de sintomas como “vómitos, febre e diarreias”.

O pedido acabou, contudo, por cair em saco roto, com os leões a mostrarem-se indisponíveis para reagendar o encontro. Num comunicado, o emblema de Alvalade lamentou os casos clínicos que afetam o plantel sadino, mas explicou a decisão com base “nos calendários de competições sobrecarregados”.

A polémica continuou da parte da tarde, desta vez com Vítor Hugo Valente, presidente dos vitorianos, a revelar que 14 jogadores sadinos (Artur Jorge, Éber Bessa, Mansilla, Ghilas, Nuno Valente, Semedo, Hachadi, Pirri, André Sousa, Jubal, Berto, Makaridze, Zequinha e Nuno Pinto) se deslocaram, ontem, ao Hospital da Luz devido a um problema de saúde ainda não especificado.

“Não é uma simples constipação nem gripe”, disse o dirigente, sublinhando que no V. Setúbal não se brinca “com situações de saúde, de saúde pública, nem com a saúde dos nossos atletas”.

O líder sadino lamentou também a falta de solidariedade por parte do clube verde-e-branco, apelando ainda à sensibilidade do seu homólogo de Alvalade, Frederico Varandas, também ele antigo chefe do departamento clínico dos leões. “Com este quadro, o Vitória FC já deu conta à Liga, e cabe a nós defender a integridade dos jogadores, assim como ao Sindicato dos Jogadores e o Sporting, da situação que estava a ocorrer neste clube. O presidente do Sporting é nosso amigo, é um clube amigo, e é médico, tem especial sensibilidade para este tipo de situações. A Liga pediu para encontrarmos outra data para realizar este jogo, já o Sporting disse que não tinha datas disponíveis por estar noutras competições”, referiu o presidente do clube setubalense.

O V. Setúbal sugeriu as datas das meias-finais da Taça de Portugal para realizar este jogo, tendo em conta que nenhum dos clubes está em prova.

A resposta da Liga Portugal não tardou, com a entidade a não adiar o encontro por falta de consenso entre os dois clubes. De acordo com os regulamentos da Liga de Futebol, um jogo só pode ser adiado se ambos os clubes chegarem a acordo nesse sentido: “Quando, por causa fortuita ou de força maior, não se verifiquem as condições para que um jogo se inicie ou se conclua, este realizar-se-á ou completar-se-á no mesmo estádio, dentro das 30 horas seguintes, salvo se ambos os clubes acordem a respetiva realização ou conclusão em outra data”.

Caso Insólito mas não único O surto gripal que está a afetar o conjunto sadino pode até ser um episódio insólito, mas está longe de ser um caso único. Só na última semana assistiu-se a dois casos. O Fafe pediu o adiamento do encontro com o Marítimo B para a 16.a jornada do Campeonato de Portugal, devido a uma gripe que atacou os jogadores, mas o clube insular recusou o pedido. A partida acabou mesmo por ser realizada, com a vitória a sorrir ao emblema madeirense (2-1).

O mesmo não se verificou, porém, em Espanha. No início de 2020, o Saragoça-Sporting de Gijón, da segunda liga espanhola, foi adiado depois do surto gripal que afetou a maioria da equipa visitante. Também no arranque do novo ano aconteceu caso semelhante, mas em Inglaterra. O encontro entre o West Ham e o Everton, do primeiro escalão do futebol feminino, foi adiado devido ao surto gripal que afetou as jogadoras do emblema londrino.

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×