6/7/20
 
 
O "monstro" condenado a prisão perpétua por violar 48 homens

O "monstro" condenado a prisão perpétua por violar 48 homens

DR Jornal i 06/01/2020 15:41

Reynhard Sinaga, de 36 anos, considerado o mais prolífero violador britânico, drogava e violava as suas vítimas enquanto estavam inconscientes, gravando os crimes. Gabava-se de "virar" homens heterossexuais.

Reynhard Sinaga, de 36 anos, considerado o mais prolífero violador na história britânica, foi condenado a prisão perpétua, sem liberdade condicional durante 30 anos, por atrair 48 homens até ao seu apartamento em Manchester, onde os drogava e violava, filmando tudo, avançou a BBC. “Nunca será seguro que seja libertado”, considerou a juíza Suzanne Goddard. Apenas ontem foi permitido identificar o arguido, que terá atacado pelo menos 190 pessoas, segundo as autoridades.

O cidadão indonésio, estudante de pós-gradução na Universidade de Leeds, já cumpre pena perpétua, sem liberdade condicional até aos 20 anos, após dois julgamentos anteriores por crimes sexuais. Atraía as vítimas à porta de discotecas e bares, prometendo boleia e mais uma bebida em sua casa, em Princess Street, no centro de Manchester. Ligava a câmara e violava as vítimas inconscientes, sobre influência de drogas da violação - muitas acordavam sem memória do sucedido. “Predava homens jovens”, que “apenas queriam um noite divertida com os amigos”, disse a juíza. 

“Tinha um prazer particular em predar homens heterossexuais”, acrescentou o procurador Ian Rushton. Amigos de Sinaga contaram ao Guardian que este se gabava frequentemente de “virar” homens heterossexuais. Também contaram que se voluntariava na igreja local. “Espero que nunca saia da prisão e apodreça no inferno”, desejou uma das vítimas no julgamento. “Há períodos em que não me consigo levantar e enfrentar o dia”, contou outra. Muitas sofreram impactos graves na sua saúde mental, como pensamentos suicidas.

Sinaga foi condenado por crimes que já vêm de 2015, mas pensa-se que os abusos tenham começado anos antes. Só foi apanhado em junho de 2017, quando uma vítima recuperou a consciência, conseguindo enfrentá-lo, escapar e chamar a polícia. Após a detenção, as autoridades encontraram no telemóvel do criminoso centenas de horas de vídeos de violações.Também foram apreendidos telemóveis, identificações e relógios roubados por Sinaga às suas vítimas.

Já o criminoso defendeu que toda a atividade sexual foi consensual e que cada homem tinha concordado em ser filmado enquanto fingia estar a dormir. "Ridículo", respondeu a juíza, ao homem apelidado de "monstro" por uma vítima, durante o julgamento.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×