23/1/20
 
 
Altice. Mil quadros para conhecer estratégia até 2023 e investimentos

Altice. Mil quadros para conhecer estratégia até 2023 e investimentos

Sónia Peres Pinto 12/12/2019 21:00

Operadora revelou que quer investir no mercado nacional através da aquisição de empresas e aumentar as áreas de operação e atuação.

A Altice juntou ontem mais de mil quadros na Altice Arena para apresentar a estratégia da operadora 2020-2023. Ao que o i apurou, tratou-se de uma reunião inédita para anunciar o crescimento da empresa. E esse crescimento passa por um maior investimento no mercado nacional, na ordem dos 500 milhões de euros, nomeadamente na aquisição de empresas e no aumento de áreas de operação e atuação.

Outra das apostas diz respeito à implementação do 5G, uma das áreas em que a empresa liderada por Alexandre Fonseca tem tecido duras críticas ao acusar a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) de estar atrasada seis meses e que estes atrasos “são quase irreparáveis”. “Não tenho dúvidas de que 2020 será ano do 5G, resta saber se será ano do 5G perdido ou se haverá ainda ganhos, pelo menos na segunda metade do ano. Acredito que há atrasos quase irreparáveis, fruto da inação do regulador”, chegou a admitir o CEO da empresa.

A questão levou o responsável a pedir a dissolução do conselho de administração do regulador. Em causa estiveram os comentários de João Cadete de Matos sobre as declarações proferidas pelo presidente da Anacom relativas à migração do serviço TDT e consultas relativas ao 5G em Portugal, considerando que elas “consistem apenas numa tentativa de maquilhar a total incompetência e descontrolo na gestão de todo o processo, refletindo um irrealismo absolutamente assustador”.

A ideia da operadora é diversificar o portefólio de negócio e a entrada em novas áreas que não são core da empresa. “O objetivo é oferecer diferentes serviços aos clientes, além das telecomunicações tradicionais, aumentando assim o leque de oferta, assim como o lançamento de novos produtos e serviços em 2020”, apurou o i.

Resultados em análise Também as receitas de 536 milhões de euros atingidas no terceiro trimestre do ano estiveram em análise neste encontro e a ideia é “consolidar a trajetória de crescimento iniciada em 2018”. O valor representou um aumento de 2,1% face a igual período do ano passado e 2,8% quando comparado com o trimestre anterior. “A trajetória iniciada no quarto trimestre de 2017 reflete a recuperação e transformação potenciada pela estratégia da Altice Portugal, que conduz à afirmação cada vez maior da liderança no mercado de telecomunicações em Portugal”, revelou, na altura, a empresa liderada por Alexandre Fonseca.

O EBITDA subiu 1,2%, o que “representa uma tendência significativa de melhoria nos últimos sete trimestres”. A operadora fechou o terceiro trimestre com 4,8 milhões de casas com fibra, estando cada vez próxima da meta estipulada para 2020: 5,3 milhões. “A estratégia comercial, associada a fortes investimentos, permitiu uma menor rotatividade e crescimento contínuo da base de clientes”, explica a empresa. As receitas do segmento consumo apresentaram um crescimento de 2,9% face ao trimestre anterior e um aumento de 0,9% em relação ao terceiro trimestre de 2018.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×