16/12/19
 
 
PSD. Rio diz que adversários são da maçonaria

PSD. Rio diz que adversários são da maçonaria

Bruno Gonçalves Cristina Rita 04/12/2019 21:39

O PSD escolhe um novo líder no próximo dia 11 de janeiro. Esta quarta-feira os candidatos a líder defrontaram-se e os primeiros minutos de debate, na RTP, foram de defesa, ataque e contra-ataque sobre a vida interna no partido. O atual presidente do partido -e recandidato- acusou Luís Montenegro e Miguel Pinto de serem da maçonaria. Ambos negaram-no.

Os três candidatos à liderança do PSD, Rui Rio, Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz, defrontaram-se esta segunda-feira num primeiro debate na RTP a esgrimirem opiniões sobre as derrotas das europeias e das legislativas deste ano.

O presidente do PSD -  e recandidato - foi cercado por Pinto Luz e Luís Montenegro pela forma como falou de “guerrilha interna” no partido. Em sua defesa, Rio abordou os seus resultados eleitorais, justificando-os com as circunstâncias. Mais, colocou as fichas todas no ataque aos dois adversários, acusando-os de fazerem um “discurso absolutamente hipócrita” por o acusarem de ter duas derrotas e tudo ter corrido mal. “Estes dois senhores tiveram resultados brilhantes”, ironizou Rio contra Montenegro, pelos resultados autárquicos em Espinho, e contra Pinto Luz pelos resultados autárquicos no distrito de Lisboa,enquanto presidente daquela estrutura.

O tom ficou mais tenso, o candidato Miguel Pinto Luz perguntou a Rio de forma clara se queria continuar a fazer igual ao fez nos últimos dois anos e a "perseguir militantes”.

O presidente e recandidato à liderança do PSD ainda questionou “qual [era] a autoridade moral” dos seus adversários para atacarem a sua postura em relação à forma como lidou com as críticas internas.

Depois chegou a pergunta sobre os interesses obscuros levantados por Rui Rio na apresentação da sua recandidatura, aludindo à maçonaria. “Os meus adversários são conhecidos como sendo da maçonaria”. Na resposta, Montenegro assegurou: “não pertenço à maçonaria”. Já Pinto Luz explicou que pertenceu à maçonaria.  “Fui membro da maçonaria. Já não sou há mais de dez  anos”, declarou o também vice-presidente da câmara de Cascais.

No capítulo do orçamento do Estado, Luís Montenegro assegurou que se deve votar contra o documento do Governo socialista, enquanto Rio reconheceu ser difícil , se não mesmo impossível, vir a viabilizar a proposta do executivo do PS, que será entregue no próximo dia 16 no Parlamento. Contudo, Rui Rio assinalou que precisa ver o documento. Nesse momento, Luís Montenegro atirou: "Eu não preciso". Porém, Pinto Luz retorquiu: "Os portugueses precisam". 

Pinto Luz ( que também precisa ver a proposta) admitiu que não teria problemas em viabilizar um bom orçamento, mas não antecipa tal possibilidade: "Eu não acredito que António Costa vá apresentar um bom orçamento do Estado”.O candidato defendeu um novo contrato social e assegurou não quer o Estado na TAP. 

Já Luís Montenegro insistiu na descida da carga fiscal, lembrou que não se pode ter "ilusões" com o PS, porque não quer entendimentos e, voltou a defender a ideia de que é preciso fazer como Cavaco Silva e ganhar eleições com maioria absoluta.

Por seu turno, Rui Rio recordou a Montenegro que "Sá Carneiro tentou fazer convergência com PS antes de AD com CDS".

[noticia atualizada às 22h20]

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×