16/12/19
 
 
Diretas no PSD. Hoje é o primeiro round na luta pela liderança

Diretas no PSD. Hoje é o primeiro round na luta pela liderança

Miguel Silva Cristina Rita 04/12/2019 12:14

O primeiro debate televisivo entre Rui Rio, Luís Montenegro e Pinto Luz realiza-se hoje na RTP. Há mais pedidos para janeiro mas nada está fechado.

Os três candidatos à liderança do PSD confrontam-se hoje, na RTP, para discutirem o futuro do partido. É o primeiro embate, há mais propostas de debates para janeiro, mas nada está fechado. Em cima da mesa estão mais duas propostas, uma da SIC, no próximo dia 3 de janeiro e outra, no dia 6 de janeiro, na TVI, mas não é líquido que se realizem os dois.

Vamos por partes. Luís Montenegro, o antigo líder parlamentar do PSD, aceita debates a dois, mas ainda não deu resposta à SIC para novo debate a três, apurou o i. Para o dia 6 de janeiro também há uma proposta da TVI, confirmou o i junto de duas candidaturas e da própria estação televisiva. Falta definir os termos do embate televisivo que não está fechado.

Segundo apurou o i junto de fontes da candidatura, Pinto Luz já disse sim às duas propostas e Rui Rio não deverá levantar obstáculos a mais dois debates a três, mas tudo depende das agendas, sendo certo que Montenegro poderá apostar em debates a dois até porque já disse que quer vencer as eleições diretas do próximo dia 11 de janeiro à primeira volta. Assim, num duelo televisivo poderia ter mais oportunidades de convencer o militante de base do PSD.

Ora, se nenhum dos candidatos conseguir 50 por cento mais um voto nessa data, o processo de eleição vai a uma segunda volta no dia 18 de janeiro.

Também entre os apoiantes de Rui Rio há a convicção de que o candidato e presidente do PSD terá menores riscos se vencer à primeira.

O mandato é para dois anos e há um desafio imediato, o do Orçamento do Estado, e outro de longo prazo, o das autárquicas, em 2021. Por isso, cada candidato vai esgrimir argumentos, sendo certo que Pinto Luz prefere ver a proposta de Orçamento do Estado primeiro para depois decidir o sentido do voto. Já Luís Montenegro, por exemplo, defendeu o voto contra o documento considerando que não é preciso conhecer o texto para se saber que será o espelho do programa de Governo dos socialistas. De realçar que a votação final global do Orçamento do Estado será feita antes do congresso (a 6 de fevereiro), com Rui Rio a líder parlamentar, ganhe ou perca as eleições diretas no seu partido.

As eleições autárquicas e o debate sobre o espaço que o PSD ocupa serão outros dos temas que os candidatos terão de explicar, não só nos debates televisivos, mas também ( e sobretudo) aos militantes.

Tema da maçonaria veio para ficar? No passado fim-de-semana, o presidente do PSD e recandidato a líder, Rui Rio, clarificou uma frase que usou no anúncio da candidatura para alertar contra interesses secretos dentro do PSD. “Quando estou a falar de interesses secretos, obscuros, pouco transparentes, estou a referir-me claramente à maçonaria”, declarou Rui Rio, citado pela Lusa. A declaração valeu-se um desafio do grão-mestre do GOL (Grande Oriente Lusitano), Fernando Lima, ao i para lhe dar todos os esclarecimentos sobre a maçonaria. Resta saber se Rio voltará a usar esse argumento em campanha ( contra adversários).

Apoios dispersos entre candidatos Na corrida interna pela presidência do PSD, os apoios dividem-se. Rui Rio recebeu esta semana mais um apoio parlamentar, o de Isaura Morais, deputada eleita por Santarém. Isto enquanto Luís Montenegro tem o apoio do ex-deputado do PSD da Madeira Hugo Velosa ou do ex-autarca de Albufeira, Desidério Silva. Já Miguel Pinto Luz ganhou apoios em Macau, o de Vitório Rosário Cardoso (líder de secção do PSD de Macau e Hong Kong), o mesmo que em outubro elogiou a estreia de André Ventura, do CHEGA, no Parlamento, como “um grande quadro político que o PPD/PSD perdeu”. O apoio mais enigmático é o de Ana Miguel Santos, deputada eleita por Aveiro nas legislativas, e uma escolha do diretor de campanha de Rio, Salvador Malheiro, na lista também para as eleições europeias.

Hoje, além do debate televisivo, será dia de prestar homenagem a Francisco Sá Carneiro, que morreu há 39 anos, no acidente de Camarate. Todos os candidatos vão assinalar a data e há uma missão, organizada pelo PSD, na Basílica da Estrela onde estará também o candidato Luís Montenegro. Já Pinto Luz não irá, optando por deixar uma mensagem em vídeo a um “herói”.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×