11/12/19
 
 
PISA 2018. Desempenho dos alunos portugueses piora na leitura e nas ciências, estabiliza na matemática e mantêm-se acima da média da OCDE

PISA 2018. Desempenho dos alunos portugueses piora na leitura e nas ciências, estabiliza na matemática e mantêm-se acima da média da OCDE

Francisco Paulo Carvalho 03/12/2019 10:29

Alunos portugueses surgem em pé de igualdade com franceses e alemães.

Face a 2015 os alunos portugueses estão a apresentar piores resultados a nível da leitura e das ciências, mas estabilizaram ao nível da matemática. Apesar da descida em duas das matérias, Portugal continua acima da média da OCDE e é um dos poucos países que melhorou nas três competências desde a primeira participação nos testes do PISA (Programe for International Student Assessment). São estas as principais conclusões do relatório sobre o maior teste na área da Educação, que avalia alunos de 15 anos de 79 países de todo o mundo, de três em três anos, e que foi divulgado esta terça-feira.

Portugal é um dos poucos países "com uma trajetória positiva e estável em todos os três domínios de literacia. Vamos começar por analisar os números. A pontuação média dos países da OCDE na leitura é de 487 pontos, enquanto na matemática e nas ciências é de 489 pontos. Por sua vez Portugal demonstra uma constância nestes três domínios, apresentando uma pontuação média de 492 pontos em todas elas. Comprova-se assim que os alunos portugueses estão assim acima da média da OCDE nestes três domínios avaliados.

Aliás, são muito poucos os países da OCDE que conseguem ultrapassar os alunos portugueses no PISA 2018 ao nível de resultados, como é o caso da Estónia, Finlândia, Irlanda, Polónia, Suécia, Dinamarca ou Noruega. Os alunos portugueses estão assim a par dos alunos franceses e alemães.

Apesar disso, a lista destas três áreas é dominada pelo continente asiático. A pontuação média de quatro regiões da China - Beijing, Shamgai, Jiangsu e Zheijiang - ao nível da leitura foi de 549 pontos, ao nível da matemática foi de 591 e nas ciências 590. Em segundo lugar surge Singapura, com 549, 569 e 551 pontos em cada um dos três domínios. O estudo revela assim que os alunos de 15 ano asiáticos ultrapassam por um margem muito grande todos os outros das restantes regiões analisadas, especialmente ao nível da matemática e das ciências.

 

Variação positiva

Para além de estar acima da média da OCDE nos resultados do PISA 2018, Portugal pode ainda gabar-se de ser um dos poucos países/regiões que desde a primeira participação neste teste, em 2000, apresenta uma evolução positiva até aos dias de hoje.

É verdade que houve variações ao longo do tempo - como por exemplo esta descida em 2018 no que toca às ciências ou a descida em 2006 ao nível da leitura - mas a evolução dos resultados portugueses tem sido claramente positiva e tem contrariado a oscilação da média da OCDE, que tem baixado nos três domínios. Se tivermos em conta a literacia, por exemplo, Portugal tinha uma pontuação média de 466 pontos em 2003, enquanto em 2018 a sua média era 492 pontos. Por sua vez, em período homólogo, a média da OCDE baixou de 498 pontos para 493 neste domínio. 

Neste estudo participaram 276 escolas, 5932 alunos e 5452 professores de todas as regiões de Portugal. Apenas seis países/regiões estão a par de Portugal nesta evolução positiva, nomeadamente Albânia, Colômbia, a região de Macau, Moldávia, Peru e Qatar. Contudo, é preciso ter em conta que nem todos os países partiram do mesmo ponto neste estudo.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×