11/12/19
 
 
NBA. A guerra já não passa pelos Warriors: Lakers e Celtics na casa de partida?

NBA. A guerra já não passa pelos Warriors: Lakers e Celtics na casa de partida?

Laura Ramires 19/11/2019 09:45

Onda de lesões condena temporada dos Warriors, que dominaram a Liga norte-americana nos últimos cinco anos. Clubes históricos voltam a estar na ordem do dia.

Parece já não haver margem para dúvidas: os Golden State Warriors atravessam definitivamente a pior fase dos últimos anos na Liga norte-americana de basquetebol (NBA). A equipa de São Francisco voltou a perder na madrugada desta segunda-feira, desta feita em casa dos New Orleans Pelicans (108-100), e soma agora 12 derrotas (a sétima consecutiva) em 14 encontros disputados. A queda dos Warriors começou, de resto, desde o arranque da presente temporada e a espiral negativa tem sido impossível de contrariar – sobretudo devido à onda de lesões que tem assombrado a equipa.

Antes disso, é importante relembrar que o universo dos Dubs começou a mexer ainda no mercado de transferências do último verão, com o anúncio bombástico da saída do extremo norte-americano Kevin Durant, que assinou de forma livre pelos Brooklyn Nets.

Ainda assim, esta foi uma notícia que acabou por ser digerida de forma natural, uma vez que o extremo está a recuperar de uma grave lesão no tendão de Aquiles e já fez saber que não regressa esta época.

Durant foi, recorde-se, uma das estrelas da equipa durante os três anos em que alinhou pelos Warriors (desde 2016), conquistando dois campeonatos. Aliás, importa salientar que nos últimos cinco anos, a hegemonia do conjunto californiano era evidente, com a constante presença da equipa na decisão pelo título. Atual finalista vencido da competição, depois de ter sido derrotado pelos Toronto Raptors, o arranque dos Warriors na nova temporada da NBA tem sido um verdadeiro pesadelo, com as lesões frequentes a terem também um papel preponderante no cenário cada vez mais negro que a equipa atravessa.

Depois dos afastamentos devido a lesão de Klay Tompson, Kevon Looney, Draymond Green e D’Angelo Russel, Steph Curry foi a última baixa dos Warriors. O base, duas vezes considerado o jogador mais valioso da temporada (MVP), partiu a mão no passado dia 31 de outubro, na partida frente aos Phoenix Suns, e o mais provável é ficar de fora até ao final da temporada. A lesão é mais grave do que inicialmente era esperado e o clube diz não haver razões competitivas que justifiquem o regresso urgente do basquetebolista.

Com a equipa irreconhecível, esta parece ser já uma temporada para esquecer para os seis vezes vencedores da NBA, com três destes títulos a serem conquistados nos últimos cinco anos (1947, 1956, 1975, 2015, 2017 e 2018).

Em sentido inverso parecem estar os Los Angeles Lakers, que se têm apresentado num nível acima dos restantes adversários, com o mais recente triunfo a acontecer ante os Atlanta Hawks por 122-101.

Com este resultado, os Lakers alcançaram a quarta vitória consecutiva e a 11.a nos últimos 12 jogos, depois da derrota no arranque da temporada frente aos Clippers.

LeBron James em grande O Staples Center assistiu a mais uma exibição espetacular de LeBron James, que terminou o encontro com 33 pontos, 12 assistências e sete ressaltos.

Aos 34 anos, o extremo parece ter voltado a atingir a sua melhor forma depois de uma época adormecida. Em 2018/19, no seu ano de estreia pelo conjunto californiano, LeBron ficou, recorde-se, de fora dos playoffs, pela primeira vez desde a sua segunda temporada como profissional, devido a uma lesão grave.

Pode, por isso, dizer-se que este “novo” Lebron está a criar bastante entusiasmo e a fazer crer cada vez mais na possibilidade de reconquistar o título, numa altura em que lidera a Conferência Oeste.

A receita para o sucesso não tem, contudo, apenas este extremo na receita. De notar que a transferência de Anthony Davis (dos New Orleans Pelicans para Los Angeles Lakers), em junho último, foi uma das peças-chaves para conduzir novamente o histórico clube aos dias de glória. Aliás, a chegada de Davis foi um pedido de LeBron à direção do clube que, segundo o veterano, precisava de mais uma estrela na equipa.

Os Lakers não vencem a NBA desde 2010, ano em que marcaram presença na final pela última vez, conquistando o 16.o título da história do clube (1949, 1950, 1952, 1953, 1954, 1972, 1980, 1982, 1985, 1987, 1988, 2000, 2001, 2002, 2009 e 2010) – ficando assim a um do recordista Boston Celtics, com 17 troféus (1957, 1959, 1960, 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1966, 1968, 1969, 1974, 1976, 1981, 1984, 1986 e 2008).

A turma de Massachusetts tem feito, de resto, furor na Conferência Este. Depois de dez jogos consecutivos a vencer na fase regular, os Boston Celtics perderam na madrugada de segunda-feira com os Kings, em Sacramento, numa partida só decidida nos instantes finais.

Richaun Holmes converteu os dois lançamentos livres que deram, a 13 segundos do fim, a vitória ao conjunto da casa (100-99). Já Buddy Hield (35 pontos) foi o melhor marcador dos Kings (5 vitórias, 7 derrotas), que ocupam a 10.a posição da Conferência Oeste, enquanto o desaire não tirou os Celtics (dez vitórias e duas derrotas) do topo da tabela da Conferência Este.

A última vez que a equipa de Boston venceu um campeonato, em 2008, foi diante dos Lakers (4-2). Depois desse ano, voltou a estar na decisão da prova apenas por uma vez, em 2010, perdendo para o mesmo adversário numa final épica decidida em sete jogos (4-3).

Na altura, Kobe Bryant, lenda do clube roxo e dourado, foi eleito o MVP da temporada. A antiga estrela da NBA esteve nesta segunda-feira presente nas bancadas para assistir ao show de LeBron James que, depois de garantir o triunfo para os Lakers, reconheceu que estava a tentar “dar espetáculo” para a lenda do clube.

NBA na casa de partida? A rivalidade entre Lakers e Celtics é considerada a maior da NBA. A provar isso está, desde logo, o facto de serem as maiores campeãs da Liga, com as duas equipas a somarem 33 dos 73 troféus de campeão da NBA.

Com uma rivalidade que começou nos anos 50 e tem atravessado várias gerações dos fãs de basquetebol, os últimos anos têm sido marcados pelo processo de reconstrução nos dois clubes. No caso dos Lakers, a equipa tem tentado encontrar-se desde a saída de cena de Bryant, enquanto os Celtics já têm dado sinais mais consistentes, como foi o caso do primeiro lugar na Conferência Este da temporada 2017.

Uma nova final decidida entre Lakers e Celtics é, de resto, um cenário há muito aguardado pelos seguidores da modalidade.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×