17/2/20
 
 
EDP University Challenge. Sistema de monitorização de gastos de energia foi o grande vencedor

EDP University Challenge. Sistema de monitorização de gastos de energia foi o grande vencedor

Nelson Patronilho Oficina i 30/10/2019 15:10

Concurso levado a cabo pela EDP vai já na sua 13.ª edição, mas foi pela primeira vez global este ano, contando com participantes do Brasil, Portugal e Espanha. Victor Hayashi e Tiago Fujii foram os grandes vencedores deste ano com o seu sistema de monitorização de gastos de energia. Equipa portuguesa chegou aos três finalistas.

Os grandes vencedores da 13.a edição do EDP University Challenge foram Victor Takashi Hayashi e Tiago Yukio Fujii, da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, cujo tema de projeto era a Gamificação da Conscientização Energética usando Interfaces Conversacionais e Predição. Pela primeira vez, este concurso foi global, contando com participantes de Portugal, Brasil e Espanha. A final realizou-se ontem em Lisboa, na sede da EDP.

Numa final onde estiveram presentes três projetos de cada um dos três países presentes em concurso – Portugal, Espanha e Brasil –, esta dupla de brasileiros da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo foi mesmo quem levou a melhor.

Emocionados após a vitória nesta iniciativa internacional levada a cabo pela empresa do setor energético para universitários dos vários países onde a EDP Renováveis – empresa subsidiária do Grupo Energias de Portugal, que opera no domínio das energias renováveis – está presente, Victor Hayashi e Tiago Fujii explicaram que inicialmente não “estavam nada confiantes na vitória”. “Ainda não nos caiu a ficha. Estamos ainda um pouco fora de nós”, referiram.

O projeto desta dupla do Brasil consiste em colocar um dispositivo num eletrodoméstico e medir quanto é que este gasta. “As pessoas, normalmente, pensam que estão a gastar um valor, mas na verdade não sabem quanto é ao certo. Com este dispositivo, as pessoas podem saber exatamente a quantidade de energia gasta pelo seu ar condicionado ou pelo seu chuveiro, por exemplo, tal como o dinheiro que se gasta aí”, explicam.

Segundo Victor e Tiago, este aparelho transmite conforto às pessoas e permite-lhes um maior e melhor controlo das suas economias.

A dupla que idealizou e colocou em prática uma aplicação com interface de voz – Google Home e Alexa – para informar o cliente e torná-lo mais autónomo em relação ao seu consumo de energia terá agora à sua espera uma viagem de uma semana a Silicon Valley, na Califórnia, Estados Unidos, conhecido por ser o local onde se encontram as maiores empresas de alta tecnologia mundiais. Referiram ainda que se inscreveram mesmo no último dia possível.

Depois desta monitorização, as empresas de comercialização e distribuição de energia podem usar os dados e algoritmos de previsão para otimizar a rede e a informação reunida pode direcionar o público para estratégias de consciencialização energética e evolução da rede.

Segundo Ana Sofia Vinhas, diretora de marca da EDP, é muito importante esta ligação entre os alunos do ensino superior e a empresa do setor energético, uma vez que os alunos “são os talentos do futuro e é esta geração que está a acompanhar as evoluções digitais e tecnológicas, tendo a capacidade de apresentar ideias que podem ser desenvolvidas no negócio da EDP”.

A edição deste ano tinha como tema o Futuro, havendo em cada país um desafio distinto. Em Portugal, as várias equipas que participaram tiveram de idealizar a Loja do Futuro da EDP. Já no Brasil, o tema foi a Casa do Futuro, enquanto em Espanha foi a Energia do Futuro e a sua relação com a EDP Renováveis.

Segundo a EDP, houve um total de 272 candidaturas provenientes dos países participantes. Contudo, apenas três equipas de cada país passaram à final, que se realizou ontem em Lisboa. Cada uma dessas nove equipas recebeu um prémio monetário de 1600 euros: 1200 para os estudantes e 400 para o professor que os orientou.

Equipa de Portugal chegou ao pódio Nesta final estiveram presentes três projetos de equipas inscritas em Portugal, cujo tema era a Loja do Futuro da EDP. Desses três, um chegou aos três finalistas e os autores tiveram a oportunidade de voltar a apresentar o seu projeto e de responder às questões do painel de jurados, composto por Diogo Ramalho, vice-diretor e chefe de desempenho de vendas e estratégia comercial B2C na EDP Portugal, Joaquín García-Boto, diretor de promoção da EDP Renováveis Espanha, Nuno Pinto, gerente de produtos B2C da EDP Brasil, e Telmo Vieira, da PremiValor Consulting, parceira da EDP há 13 anos.

A dupla Renato Andrade e Paula Feio, da Universidade do Minho, cujo tema do projeto era a Aplicação das Realidades Aumentada e Virtual no Âmbito das Lojas de Serviços, foi a única das três a chegar à final.

A dupla considerou que “conseguiu aplicar bem a metodologia desejada” e criar “empatia com o cliente desde o início até à altura em que testaram o projeto”. Renato e Paula pretendiam tornar a experiência do cliente em loja mais interessante através da realidade aumentada, por exemplo, criando uma nova experiência nas lojas da EDP, “que estão ainda muito no passado”.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×