7/4/20
 
 
Sócrates ataca procurador à porta do tribunal e Rosário Teixeira não se fica: “Nunca falei em ajuste de contas”

Sócrates ataca procurador à porta do tribunal e Rosário Teixeira não se fica: “Nunca falei em ajuste de contas”

João Porfírio Carlos Diogo Santos 30/10/2019 14:07

Questionado ontem pelos jornalistas sobre as frases inflamadas de Sócrates contra a acusação, Rosário Teixeira disse: “O senhor engenheiro diz o que quiser. E, no fim, a gente faz as contas”. Hoje Sócrates pediu que o procurador emendasse a sua declaração, mas Rosário Teixeira à entrada do Tribunal Central explicou que não há nada para emendar: “Ouviram o que eu disse e não tem nada a ver com ajuste de contas. É uma expressão comum”.

 

José Sócrates atacou esta quarta-feira o procurador Rosário Teixeira à chegada ao Tribunal Central de Instrução Criminal, referindo que pensava que os procuradores tinham apenas o propósito de defender a Justiça e a legalidade. Ontem, questionado à porta do tribunal sobre as acusações que Sócrates tem feito ao Ministério Público durante o interrogatório, Rosário Teixeira disse apenas: “O senhor engenheiro diz o que quiser. E, no fim, a gente faz contas”.

Hoje, apesar de não falar sobre a operação Marquês, José Sócrates aproveitou a presença das televisões no TCIC para mandar um recado, afirmando que a declaração do magistrado foi “infeliz e imprópria”. E acrescentou que tais declarações são “reveladoras do que esteve na base deste processo: uma certa motivação pessoal”.

Minutos depois, quando Rosário Teixeira chegou ao tribunal e foi questionado pelos jornalistas disparou: “Ouviram o que eu disse e não tem nada a ver com ajuste de contas. É uma expressão comum”. O procurador do Departamento Central de Investigação e Ação Penal acrescentou ainda que o “Ministério Público tem de sustentar a acusação nesta fase” de instrução, até porque “é o que está na lei”. Reforçou ainda que “os processos tem as suas fases e no fim é que as coisas são apreciadas”, deixando claro que era a isso que se referia quando disse que “no fim a gente faz as contas”.

Recorde-se que ao juiz Ivo Rosa, José Sócrates tem dito que a acusação de Rosário Teixeira é alucinante e mentirosa.

O interrogatório recomeça hoje às 14h.

O que disse Sócrates ontem

Ontem, José Sócrates terá garantido que não só não nomeou Armando Vara para a administração do banco público, como ainda mostrou relutância à decisão de Teixeira dos Santos – uma versão que já tinha sido dada por este último.

Sobre Joaquim Barroca terá afastado a ideia de ser uma pessoa conhecida, algo que a defesa do ex-administrador do Grupo Lena considerou ter sido mais um passo na demonstração de inocência do seu cliente.

Caso Marquês

O Ministério Público, através do departamento que investiga a criminalidade mais complexa – o DCIAP –, acusou 28 arguidos, 19 pessoas singulares e nove pessoas coletivas, no âmbito da designada Operação Marquês, em 2017 . José Sócrates está acusado de crimes de corrupção passiva de titular de cargo político (três crimes), branqueamento de capitais (16 crimes), falsificação de documento (nove crimes) e fraude fiscal qualificada (três crimes). A instrução é uma fase facultativa cuja abertura é pedida pelos arguidos e na qual um juiz de instrução, neste caso Ivo Rosa, decide se há ou não indícios suficientes para se avançar para julgamento, como defende a acusação.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×