19/1/20
 
 
Vitória de José Correia foi ponto alto em Portimão

Vitória de José Correia foi ponto alto em Portimão

António Silva Joaquim Gomes 28/10/2019 23:46

A quarta e última prova do Open Portugal de Velocidade realizou-se este fim de semana, em Portimão.

José Correia (Nissan GT-R GT3) e a filha, Gabriela Correia (Seat León Mk3), tiveram um fim de semana de altos e baixos no Autódromo Internacional do Algarve, palco da quarta e última prova do Open de Portugal de Velocidade, porém, a vitória na Corrida 1 marcou a prova do piloto bracarense.

O corredor do Nissan GT-R Nismo GT3 já tinha ganho uma das corridas do Open, na prova de Braga. José Correia repetiu agora o triunfo, na primeira corrida do fim de semana algarvio, no sábado. 
José Correia foi o mais rápido nas sessões de qualificação, mas teve um domingo mais atribulado, sofrendo toque na volta de aquecimento da Corrida 2. O piloto ficou fora de prova, vendo depois a transmissão do seu Nissan ceder logo na fase inicial da Corrida 3.

“Penso que, sem problemas mecânicos, teríamos lutado pela vitória nas outras duas corridas, inclusive na última no meio dos outros GT todos. Só tivemos realmente o carro em condições no sábado e fizemos as pole-positions e ganhámos a Corrida 1. Por isso, saio daqui com alguma frustração”, afirmou José Correia.

A jovem Gabriela Correia também regressou ao Autódromo Internacional do Algarve, onde em 2018 já tinha feito a sua estreia absoluta em provas de Velocidade, então com apenas 16 anos de idade.

Mas vários contratempos impediram a piloto de Braga de mostrar toda a sua rapidez, saindo de Portimão com um sexto lugar na classificação geral do Open na Corrida 1, a terceira entre os Turismos.

“Foi para mim um fim de semana muito complicado, por tive quase sempre problemas, principalmente no domingo, a corrida de sábado até foi positiva, mas depois tivemos um toque na Corrida 2 e penso que algo deve ter ficado danificado, porque o carro sobreaqueceu logo no início da Corrida 3”, disse Gabriela Correia. A piloto acrescentou ser “sempre fantástico poder correr na pista de Portimão” mas que “queria ter terminado as outras duas corridas”, de forma a continuar a sua evolução nos circuitos. Gabriela Correia voltou, no final de uma época, a mostrar talento tanto nas provas de montanha como na velocidade.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×