21/11/19
 
 
PSD. Rui Rio recebe apoios e orçamento abre polémica

PSD. Rui Rio recebe apoios e orçamento abre polémica

AFP Luís Claro 21/10/2019 14:22

Vice-presidente do PSD, David Justino, alvo de críticas por admitir viabilizar orçamento do PS. “Este tipo de declarações causa prejuízos políticos incalculáveis”.

Duas semanas depois das eleições legislativas, Rui Rio ainda não anunciou se quer ou não continuar na liderança, mas tem recebido incentivos para se recandidatar. Guilherme Silva, ex-líder parlamentar, junta-se aos que defendem que o atual líder deve ir à luta. “O resultado acabou por ser honroso. Não foi a vitória que nós desejávamos, mas não foi a derrota que muitos previam”, afirma, em declarações ao i, o antigo vice-presidente da Assembleia da República, considerando que Rui Rio tem “todas as condições para ser candidato e, eventualmente, vencer o congresso”.  


Rui Rio entrou em reflexão depois da derrota no dia 6 de outubro e já ouviu dos mais próximos palavras de incentivo para se recandidatar. O anúncio poderá ser feito depois da tomada de posse do Governo. Figuras como Manuel Ferreira Leite, Luís Filipe Menezes ou Silva Peneda também apoiam a continuidade da atual liderança. “Se o dr. Rui Rio achar que deve continuar a liderar o partido terá o meu total apoio. Sem hesitações”, garante o ex-líder do PSD, Luís Filipe Menezes. 
Rio não tem pressa e não alterou os calendários por causa de Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz. O Conselho Nacional do vai reunir-se na última semana deste mês ou no início de novembro para marcar as eleições diretas e o congresso para o início do ano. 

Prejuízos políticos Apesar de Rui Rio ainda não ter anunciado a decisão, o debate interno continua aceso. Os críticos de Rui Rio insurgiram-se contra a possibilidade de o partido viabilizar o Orçamento do Estado para o próximo ano.

 “É totalmente errado o PSD admitir viabilizar o Orçamento. PSD satélite do PS? Não. O interesse nacional exige uma oposição firme hoje para ter uma alternativa forte amanhã”, disse Luís Montenegro ao semanário SOL depois de David Justino, vice-presidente do partido, ter admitido, numa entrevista à Rádio Observador, viabilizar o orçamento. 
Carlos Abreu Amorim também disparou contra a entrevista de David Justino e escreveu, nas redes sociais, que “este tipo de declarações causa prejuízos políticos incalculáveis” ao partido. 

Uma das maiores diferenças entre Rui Rio e Luís Montenegro é o posicionamento em relação ao PS. O atual líder defende, desde o início, que o PSD não deve fechar a porta a compromissos com os socialistas em nome do interesse nacional. Montenegro afasta acordos com o PSe defende que “o interesse nacional exige uma oposição firme hoje para ter uma alternativa forte amanhã”. 

Até agora, há apenas dois candidatos assumidos à liderança. Luís Montenegro, ex-líder parlamentar nos tempos da troika, e Miguel Pinto Luz, vice-presidente da câmara de Cascais. Jorge Moreira da Silva e Miguel Morgado estão ainda em ponderação e não fecharam a porta a uma candidatura. Rui Rio deve anunciar em breve a recandidatura. 

Apoios Luís Montenegro recebeu neste fim-de-semana o apoio de Maria Luís Albuquerque. A ex-ministra de Passos Coelho disse ao Expresso que Montenegro será “uma efetiva alternativa” ao PS. Já o ex-deputado José Eduardo Martins confirmou que vai votar em Miguel Pinto Luz. 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×