31/3/20
 
 
Compra TVI. Impresa já levantou informação sobre o negócio

Compra TVI. Impresa já levantou informação sobre o negócio

Raquel Wise Daniela Soares Ferreira* 15/10/2019 10:22

Junção dos grupos Cofina e Media Capital pode ser uma dor de cabeça para a Impresa, que já está a movimentar-se para tentar travar negócio.

A Impresa já tem em seu poder o dossiê que está disponível na Autoridade da Concorrência (AdC) sobre a possível compra da Media Capital por parte da Cofina. O levantamento foi feito quatro dias antes do prazo estipulado pela AdC para as empresas poderem fazer comentários de possíveis interessados na fusão dos dois grupos.

A medida tomada pelo grupo liderado por Francisco Pedro Balsemão não causa surpresa até porque, tal como o SOL avançou, o grupo Impresa está preocupado com as consequências da junção TVI/Cofina.

A concretização deste negócio já está a criar descontentamento junto do grupo Impresa. O SOL sabe que altos quadros da empresa estiveram reunidos com as operadoras de telecomunicações para falar sobre esta aquisição, que vai criar o maior grupo de comunicações caso avance.

Contactado pelo SOL, o grupo diz apenas que “é natural que a Impresa tenha contactos permanentes com as operadoras por ter com elas várias relações comerciais e contratuais e, por isso, uma forte proximidade com todas”. Quanto aos outros assuntos diretamente relacionados com as consequências da junção dos grupos, a Impresa não quis comentar.

Em setembro, o CEO tinha admitido que estava “atento a quaisquer alterações neste setor da comunicação social”, acrescentando que enquanto não houvesse mais pormenores não iria comentar a operação.

Ao que o SOL apurou, o objetivo destes encontros passará por arrastar o processo de compra, nomeadamente junto da Autoridade da Concorrência (AdC). A ideia é desvalorizar o ativo TVI – que está neste momento avaliado em 255 milhões de euros, mas cujas sinergias no futuro grupo estão fixadas em 46 milhões de euros – e seguir o exemplo do que se passou com a tentativa de compra por parte da Altice. A operação avaliada em cerca de 440 milhões de euros acabou por esbarrar na demora das autorizações necessárias da Concorrência e de outras entidades reguladoras.

 

Feito pedido de registo da OPA

A Cofina tinha até à passada sexta-feira para fazer dar entrada na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) o pedido de registo da oferta pública de aquisição (OPA) e cumpriu.

A OPA é amigável mas, segundo a legislação, a dona da TVI tem oito dias para se pronunciar sobre os termos da proposta.

*Com Sónia Peres Pinto

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×