25/5/20
 
 
FENPROF junta-se à greve climática marcada para sexta-feira

FENPROF junta-se à greve climática marcada para sexta-feira

Bruno Gonçalves jornal i 24/09/2019 17:53

A FENPROF (Federação Nacional dos Professores) é a maior federação sindical docente do país. 

A FENPROF decidiu juntar-se à paralisação global pelo clima e entregou um pré-aviso de greve para sexta-feira.

A FENPROF é a maior federação sindical docente de Portugal. Professores e investigadores de todo o país, desde educadores de infância a professores do ensino superior, tanto de estabelecimentos públicos como privados, vão poder juntar-se à luta estudantil e protestar por mudanças governamentais e pelas futuras gerações, em mais de vinte localidades do país. 

Vários docentes entraram em contacto com a FENPROF, afirmando querer fazer parte do protesto pelo clima, e a federação sindical decidiu aceder aos pedidos "para que todas as pessoas que o desejam possam participar na manifestação”, segundo declarações do secretário-geral da federação sindical, Mário Nogueira, à agência Lusa.

"O pré-aviso de greve tem a intenção de permitir que aqueles que querem estar nas manifestações mas não têm forma de justificar as suas faltas, porque não estão doentes, poderão usar este pré-aviso que irá permitir a justificação das faltas”, explicou. "As questões do clima são problemas que têm vindo a preocupar os professores e que os devem preocupar porque estão na formação dos jovens e, sobre essas matérias, têm tido sempre um papel ativo”, acrescentou Mário Nogueira. 

Segundo o secretário-geral da federação sindical, os professores pretendem "exigir ao Governo e à comunidade internacional políticas ambientalmente sustentáveis e protestar contra quem coloca a exploração e o lucro acima das pessoas e do futuro do planeta”. 

Mário Nogueira avançou ainda que a FENPROF irá "dentro de um ano" organizar o seu próprio evento para o combate das alterações climáticas, dirigido a todos os professores do país. 

A atual Greve Climática Global começou na semana passada, a 20 de setembro, e está a decorrer em cerca de 150 países por todo o mundo. Em Portugal, a greve, marcada por vigílias, concentrações e manifestações irá ocorrer esta sexta-feira, dia 27.  

Os protestantes exigem que as centrais de carvão encerrem durante a próxima legislatura e a paragem de quaisquer novos projetos que aumentem as emissões a nível nacional e ainda a neutralidade de carbono em 2030.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×