11/11/19
 
 
Mais de 80 jihadistas vão ser libertados até 2023

Mais de 80 jihadistas vão ser libertados até 2023

AFP 12/09/2019 14:58

Depois de já terem sido libertados 45 jihadistas por “serem condenados a sentenças curtas”, a Europa prepara-se para libertar 57% dos que se encontram condenados.

Mais de metade dos 199 jihadistas condenados desde 2015 vão ser libertados. Os dados constam de um relatório elaborado pela Globsec intitulado “Jihad europeia: futuro do passado?”. O documento que está disponível desde terça-feira baseia-se nos dados de 326 pessoas acusadas de atos terroristas, com ligaçãos ao daesh, identificados desde 2015.

A maioria foi presa, 50 morreram em onze países da União Europeia e 39 foram expulsos de algum país devido a ligações terroristas. Da amostra analisada, 38 são procurados pelas autoridades europeias.

O documento deixa claro que “a Europa não venceu a guerra contra o terrorismo” e “a jihad europeia envolve um número significativo de indivíduos que tiveram longas carreiras terroristas e cometeram vários crimes”. O relatório acrescenta ainda que os indivíduos em causa "provavelmente continuarão a fazê-lo após a libertação".

"Das 199 pessoas do nosso painel que foram condenadas por terrorismo, 57% serão libertadas da prisão antes do final de 2023. E 45 já foram, depois de serem condenadas a sentenças curtas", pode ler-se.

Dos jihadistas condenados desde 2015, já foram libertados 45. É esperado que nos próximos quatro anos sejam libertados cerca de 88

A organização alerta ainda para o facto de as autoridades terem que “lidar com os seus casos individualmente”.

O relatório desmistifica ainda a ideia de que as mulheres pertencentes à jihad sejam apenas “noivas de jihadistas”, dando alguns exemplos acerca da propaganda e planos de recrutamento feminino.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×