21/9/19
 
 
Quercus prevê que sejam vendidos 1 milhão de veículos elétricos na UE em 2020

Quercus prevê que sejam vendidos 1 milhão de veículos elétricos na UE em 2020

Jornal i 08/09/2019 23:01

Agência culpa os modelos SUV e o seu boom de vendas pelo  aumento do CO2 nos carros novos. 

Deverão ser vendidos um milhão de veículos elétricos e plug-in no próximo ano. A garantia é dada pela Quercus ao revelar que este crescimento de vendas permite “a consolidação, no segundo lugar, da indústria automóvel europeia, no mercado mundial de veículos elétricos”. E deixa uma garantia: “após anos de esforços reduzidos, os fabricantes automóveis estão finalmente a preparar-se para lançar, no mercado, a diversidade de modelos mais eficientes e veículos elétricos mais acessíveis para cumprir a legislação europeia de emissões de CO2”. 

Esta garantia surge na véspera de lançamento de novos modelos de veículos elétricos no Salão Automóvel de Frankfurt. De acordo com as contas da Quercus, a venda de veículos elétricos rondará os 5% em 2020, subirá para 10% em 2021, no entanto, lembra que essas percentagens vão depender da estratégia que os fabricantes poderão adotar. 

Quotas

De acordo com a agência ambiental, a Toyota está em melhor posição para atingir a sua meta face ao investimento antecipado em tecnologia híbrida: 56% das suas vendas na UE serão híbridos não recarregáveis. A seguir surge a Aliança Renault-Nissan com destaque para a aposta de modelos, como Nissan Leaf e o Renault Zoe. “As marcas em posição mais desafiante são: Honda, Ford e Hyundai-Kia, embora esta última tenha começado recentemente a aumentar o seu portfólio e vendas de VE. A Volvo também tem um grande diferencial, mas espera-se que consiga cumprir transformando grande parte da sua frota em tecnologia híbrida plug-in. Não seria de esperar que a Fiat-Chrysler fosse capaz de atingir a sua meta, mas graças ao seu acordo com Tesla, vai poder cumpri-la”, diz a Quercus.

A agência aproveita ainda para apontar o dedo aos SUVS. De acordo com a mesma, o colapso nas vendas de carros a gasóleo não é a principal causa do recente aumento nas emissões de CO2 de carros novos. “Desde 2013 o boom nas vendas de SUVS resultou num aumento de 2,6 g de CO2/km, 10 vezes mais do que o aumento de 0,25 g de CO2 / km atribuído ao declínio nos carros a gasóleo. As vendas de SUVs na Europa dispararam de 7% em 2009 para 36% em 2018 e espera-se que alcancem quase 40% até 2021”, conclui.

Calcanhar de Aquiles

 A Quercus garante que o setor dos transportes é o mais problemático em termos climáticos na Europa, representando 27% das emissões totais de gases com efeito estufa. "A contribuição dos automóveis corresponde a 44% das emissões de transporte e esta continua a aumentar devido às estratégias de negócios tomadas pela indústria automóve", salienta.

Desta forma, a agência ambiental refere que "num contexto em que a mobilidade urbana está a ser repensada de forma a torná-la mais sustentável, a Quercus assinala como prioritário, a adoção de regulamentos mais exigentes em termos de limite de emissões e penalizações mais severas para os incumpridores, a nível europeu e, adicionalmente, a nível nacional, de políticas e medidas que fomentem as deslocações a emissões zero e progressivamente desincentivem opções de mobilidade com o transporte individual".

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×