21/9/19
 
 
Lá fora. Portugal continua nas bocas do mundo

Lá fora. Portugal continua nas bocas do mundo

Dreamstime Daniela Soares Ferreira 05/09/2019 21:09

O país à beira mar plantado até pode ser pequeno mas o que tem para oferecer é gigante. Que o digam os jornalistas e colunistas estrangeiros que rasgam elogios a Portugal sempre que por cá passam. Desta vez, o destaque é do New York Times e vai para o Alentejo que é destacado como uma região de “beleza e autenticidade incomparáveis”.

Não é a primeira vez que a imprensa internacional se rasga em elogios a Portugal e, desta vez, o visado foi o litoral alentejano. Com uma “beleza e autenticidade incomparáveis” é assim que o New York Times descreve esta região portuguesa, num artigo extenso assinado pelo jornalista Eric Lipton, que chegou ao nosso país com a família “quase por acidente”.

Melides, que “está no meio de uma transformação”, é o primeiro local que o autor destaca. Um local que considera “extraordinariamente bonito”. Litpton aproveitou ainda o artigo para falar um pouco mais sobre a região aos seus leitores: “A área do Alentejo é conhecida há muito tempo como uma das partes mais pobres e menos povoadas da Europa Ocidental, embora o seu solo arenoso seja fértil. Uvas, arroz, trigo, centeio, aveia, azeitonas, mel, espargos, nozes, frutas, trufas, cogumelos e muitos outros tipos de vegetais são cultivados ou produzidos na região, conhecida como celeiro de Portugal”, explica.

De Melides passa para a Comporta, um lugar “atraente, com a sua própria praia e ótimos lugares para comer”, destaca. Local que caracteriza como sendo uma mini versão dos Hamptons: “Carros de luxo enchem as ruas movimentadas, casais com roupas de estilo boémio andam entre as obras de arte das galerias, lojas de utilidades domésticas, boates e bares ao ar livre. (Os mosquitos também são bastante impressionantes à noite, pois a vila é construída à beira de um campo de arroz)”, brinca.

A experiência em Portugal parece ter sido fantástica – como pode comprovar o artigo – e Lipton faz questão de o dizer: “Fiquei feliz por termos ficado um pouco mais a sul”.

E até a gastronomia local é destacada neste artigo, com destaque para o frango assado – a comida que mais gostou – comprado na praça de Melides. Mas não só: as amêijoas à Bulhão Pato e a sardinha fresca também fizeram as delícias do autor do artigo e a família.

Lipton garante que a praia da Galé é das mais extraordinárias que já viu no mundo, confessando ser até difícil de descrever. Mas tentou, detalhando todos os passos que deu até à praia. “Senti-me atraído pela praia – e não apenas pelos motivos tradicionais. Depois de amanhecer, fazia uma caminhada nas falésias, com cerca de seis metros de altura, com vista para o oceano – podem imaginar a vista”.

Grândola e Zambujeira do Mar fizeram parte do roteiro.

Outros elogios Esta não é a primeira vez que o New York Times elogia Portugal. Ainda em março deste ano, um artigo do conceituado jornal norte-americano deu destaque à calçada portuguesa. “Em Lisboa, no coração da cultura portuguesa, os pavimentos são considerados obras de arte”, lia-se. Um ano antes, o destaque, no mesmo jornal, ia para a gastronomia e para a cultura: “Esqueçam Lisboa como a capital mais económica da Europa. Sim, o marisco ainda é (relativamente barato), assim como o vinho. Os velhos elétricos amarelos ainda serpenteiam pelas colinas e nunca paga mais de um euro e uns trocos por um pastel de nata mas, hoje, a capital portuguesa é mais conhecida pela sua culinária entusiasmante e instituições culturais interessantes, incluindo um novo museu de classe mundial à beira-mar”. Elogios que dão gosto ler e que vão além do New York Times.

Também o The Telegraph tem várias referências a diversas regiões de Portugal, como Lisboa, Porto, Madeira ou Açores. “Toda a gente já ouviu falar de Lisboa e Porto, mas e Guimarães, Tavira ou Sintra? Se estes nomes não lhe dizem nada, está a perder a oportunidade de descobrir como eram as cidades portuguesas antes de os turistas chegarem”, escreveu o jornal britânico em fevereiro de 2018. A publicação garantiu ainda, na mesma altura, que a Madeira é melhor que Ibiza e que os Açores são o Havai do Atlântico.

Já em 2017, a CNN mostrou-se apaixonada por Lisboa e pelo Rio Douro: “Rio Douro quer dizer em português ‘rio de ouro’. Quando o pôr-do-sol o apanha bem, consegue ver porquê. As águas brilham como barras de ouro”.

E nem nuestros hermanos resistem aos encantos do seu país vizinho. Em maio desde ano, o Condé Nast Traveller, em Espanha dava destaque a Torres Novas: “Imagine uma costa selvagem, emoldurada por áreas verdes e montanhas. E que estes 20 quilómetros de areias brancas e águas banhadas pelo Atlântico se converteram numa das mecas do surf em Portugal, que além disso contam com vários selos de distinção pela pureza das suas águas e praias”.

Também o El País garantia, em 2017, que Lisboa se via dominada pela paixão e ambição que poucos dos seus moradores – incluindo políticos e empresários – conheciam.

Talvez, depois de tão rasgados elogios, não seja de estranhar que Portugal tivesse sido o grande vencedor dos World Travel Award - edição Europa, em junho deste ano: Lisboa voltou a ser reconhecida como o Melhor Destino City Break da Europa e Melhor Porto de Cruzeiros Europeu. O Algarve foi distinguido como Melhor Destino de Praia Europeu e, a Madeira, como Melhor Destino Insular. No total, e nas várias categorias, Portugal recebeu 39 prémios.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×