19/1/20
 
 
Incêndios assolam Norte e Centro do país

Incêndios assolam Norte e Centro do país

Cristiana Cruz Reis 04/08/2019 21:00

Portugal sofreu três incêndios fortes este fim de semana e que levaram à mobilização de centenas de operacionais. 

O primeiro fim de semana de agosto foi marcado por um incêndio em Tomar, que obrigou à mobilização de mais de 500 operacionais. O incêndio que deflagrou no sábado e estendeu-se aos concelhos de Abrantes e Constância, no distrito de Santarém - e entrou em fase de conclusão às 09h27 de domingo, segundo fonte da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil confirmou ao i.

No local, por volta da 13h00 da tarde de domingo, ainda se encontravam 504 operacionais, 150 meios terrestres e dois meios aéreos. O objetivo dos operacionais foi evitar reacendimentos visto no período da tarde ter ocorrido um aumento de temperatura e de rajadas de vento de 25km/hora.

O Estado-Maior-General das Forças Armadas anunciou este domingo, através de um comunicado presente na página oficial, ter enviado reforços para combater as chamas em Tomar. Segundo consta na nota, “quatro máquinas de rasto, três do Exército e uma da Força Aérea” e 20 militares - 15 do Exército e 5 da Força Aérea - foram enviadas com o intuito de “ apoiarem na abertura de caminhos que facilitem o acesso dos operacionais que combatem o fogo”, depois da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil ter emitido um pedido de apoio.

A tarde de sábado não foi fácil para os operacionais que combatiam as chamas em Tomar e Abrantes. Um dos aviões que tentava eliminar o incêndio foi obrigado a amarar na barragem de Castelo de Bode, devido a problemas técnicos, na sequência de uma operação de recolha de água. No entanto, nenhum dos operacionais ficou ferido, tendo ocorrido apenas perdas materiais.

Em declarações à RTP1, o comandante distrital das operações de socorro de Santarém, Mário Silvestre, elogiou a performance dos operacionais, que trabalharam durante toda a noite para eliminar as chamas, o que permitiu deixar o incêndio em fase de resolução. Destaca ainda que uma das maiores dificuldades dos operacionais foi o vento forte sentido na região que foi responsável pelo avançar do fogo. O incêndio fez sete feridos, entre eles um civil e quatro bombeiro que foram assistidos no local e dois feridos ligeiros bombeiros, que foram assistidos no Hospital de Abrantes. Um deles chegou mesmo a voltar ao local para ajudar os colegas a garantir o findar do incêndio. À hora de fecho desta edição, encontravam-se no local ainda 410 operacionais e 127 meios terrestres no local. 

Incêndio no Sabugal em fase de rescaldo Mas os fogos não apareceram só em Tomar, também a região do Sabugal, na Guarda, foi assolada pelas chamas, no sábado. O alerta foi dado às 17h50 e o incêndio chegou a ter duas frentes ativas. Mais de 170 operacionais estiveram no local a combater as chamas, apoiados por mais de 50 viaturas. Por volta das 22h00, apenas a “cabeça” do fogo se mantinha ativa, no entanto, por volta da 00h15 as chamas foram dadas como dominadas. À hora de fecho desta edição, o incêndio encontrava-se em fase de rescaldo e cerca de 60 operacionais e 28 meios de terrestres encontravam-se no local. 

Incêndio em Sintra mobiliza quase 100 operacionais Um incêndio na localidade de Raposeiras, em Sintra deflagrou este domingo, pelas 16h15, numa zona de mato e obrigou à mobilização de 108 operacionais. Durante a tarde, chegaram mesmo a ser mobilizados dois meios aéreos ao local, devido à intensidade das chamas. À hora de fecho desta edição, o incêndio já se encontrava em fase de rescaldo e no local, estavam 83 operacionais e 28 veículos de apoio. 

 

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×