14/11/19
 
 
Francisco George. “A nossa Linha”

Francisco George. “A nossa Linha”

José Sérgio Jornal i 26/07/2019 19:43

O presidente da Cruz Vermelha Portuguesa, antigo diretor-geral da Saúde, recorda como a família procurou refúgio nas praias de Sintra. O verão foi, e continua a ser, tempo de encontro com amigos.

Meu Pai, que residia na Rua Coelho da Rocha, ao Bairro de Campo de Ourique, temeu durante a ii Guerra Mundial que Lisboa fosse alvo de bombardeamentos, uma vez que, como médico, era convocado com frequência para exercícios de proteção civil. Casado, com dois filhos, resolveu procurar uma casa de refúgio ao estilo de abrigo seguro, simultaneamente “perto e longe” de Lisboa. Escolheu a pitoresca linha Azenhas do Mar, Praia da Maçãs e Praia Grande.

Claro que eu, ao nascer em 1947, cinco minutos depois do meu irmão gémeo, não tive outra opção...

Lá fui, lá estive e lá me encontro. Lá fomos, lá estivemos e lá nos encontramos.

Recomendo passear à beira-mar pela manhã, ler jornais antes de almoço, um livro a seguir, e ir à praia, mas sempre depois das 16h00. Costumo lá passar mas devidamente protegido por T-shirt, panamá de abas largas, óculos escuros e creme protetor solar, generosa e abundantemente aplicado nas partes descobertas. Pois, sendo descendente de ingleses de pele muito clara, tenho a consciência da necessidade de levar a sério medidas de prevenção em relação ao cancro cutâneo. Na praia, assim “mascarado”, visito e converso com os amigos habituais, alguns desde os tempos de infância ou juventude.

Antes do fim do dia, um telefonema para o Restaurante das Patrícias, alternadamente com o Coroa ou a Adega do Coelho, para marcar mesa de jantar.

Nos dias de hoje, quando acompanhado pelos meus netos, o começo das escolhas é sistematicamente antecedido pela discussão dos refrigerantes. Teimosos, pretendem determinadas latas que correspondem a água, aroma e sete pacotes de açúcar...

Claro que nunca autorizo!

Noutro dia, a cena repetiu-se com maior intensidade. Consegui negociar depois de comparar os minúsculos rótulos onde constam os teores de açúcar desta e daquela marca. Duas latas e três garrafas diferentes foram apreciadas em voz alta e com contas apoiadas pela calculadora do telemóvel. Depois de muita conversa, alcancei um acordo para pedir uma embalagem light, mas beber apenas metade. Maria João e Henrique semiderrotados e Avô semivitorioso. Unanimemente escolhemos bacalhau com broa, prato principal das Patrícias.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×