19/11/19
 
 
Hip hop. The Kid is back

Hip hop. The Kid is back

Facebook oficial de Sam The Kid Mariana Madrinha 09/07/2019 20:12

Há 20 anos, Sam The Kid lançou o álbum que o firmaria como um nomes maiores do hip hop nacional. Ontem, e depois de dez anos sem atuar a solo, anunciou que não vai deixar a data incólume: a festa faz-se no outono, nos Coliseus.

“Andei na estrada com vários projetos, nos últimos anos, mas achei que este era o momento em que fazia sentido fazer algo especial”. Foi desta forma que Sam The Kid resumiu ao i a ideia por detrás da comemoração dos 20 anos de carreira, que o vai levar a 18 de outubro e 8 de novembro, com banda e orquestra, aos Coliseus de Lisboa e do Porto, respetivamente, para rever e celebrar a sua discografia. “Este formato diferente é algo que sempre quis fazer e os Coliseus são as salas ideais”, acrescentou.

Duas décadas de carreira, duas décadas a escrever a história no hip hop português. A primeira pedra – o álbum de originais Entre(tanto) – foi lançada em 1999 ainda sob o nome de STK. Já não era uma criança nestas andanças, já tinha começado a traçar o seu caminho tanto a solo como em grupo, mas Samuel Mira era ainda o The Kid, epíteto que nunca abandonaria no percurso, pesem embora as colaborações posteriores e a consagração como um dos nomes maiores do hip hop no país.

Nascido de Chelas, literalmente entre as “quatro paredes” do seu quarto, Entre(tanto) foi um gatilho da sua carreira. “Sam The Kid não é só Entre(tanto), é Sobre(tudo), Beats Vol1: Amor, Pratica(mente) ou Mechelas. É uma das mais influentes vozes da música nacional, é TV Chelas, é Três Pancadas, é um dos mais competentes e apreciados produtores do nosso país, é Orelha Negra, é Crime do Padre Amaro ou Classe Crua, lê-se no comunicado enviado às redações que anuncia os dois concertos e que elenca os principais momentos da carreira deste que é tido como um dos maiores nomes do rap em Portugal.

Há dez anos que Sam The Kid não atuava em nome próprio e os concertos nos Coliseus serão, também por isso, irrepetíveis. E por detrás do mestre-de-cerimónias estarão ajudantes de peso. Samuel Mira chega aos Coliseus ao lado dos parceiros que escolheu: Fred Ferreira, Francisco Rebelo, João Gomes e DJ Cruzfader, secundados por uma orquestra de 24 elementos, dirigida pelo maestro Pedro Moreira.

Os bilhetes foram ontem colocados à venda online em bol.pt para a capital e em ticketline.pt para o Porto, bem como em todos os locais habituais, e os preços variam entre os 20 e os 25€.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×