17/9/19
 
 
Idoso do Prédio Coutinho recusa-se a sair da sua casa e tem-se alimentado através de uma corda

Idoso do Prédio Coutinho recusa-se a sair da sua casa e tem-se alimentado através de uma corda

DR Joaquim Gomes 26/06/2019 12:42

Moradora ameaça entrar em greve de fome, esta quarta-feira.

Um octogenário que mora no Prédio Coutinho, em Viana do Castelo, onde estão a ocorrer despejos deste o início desta semana, para demolir o edifício habitacional de 13 andares, está a ser alimentado com comida de um restaurante, que é entregue através de uma corda, uma  situação caricata que já motivou uma participação da família na PSP de Viana do Castelo. 

Desta esta segunda-feira de manhã que elementos da PSP estão em permanência no local “para assegurar a ordem pública”, enquanto que uma empresa de segurança privada tem dois vigilantes também a tempo inteiro, visto já terem ocorrido problemas de saúde com um dos moradores, que foi assistido, em casa, pelos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo.   

Agostinho Correia, de 88 anos, reside no quinto andar do Edifício Jardim (mais conhecido por Prédio Coutinho), tendo um dos seus filhos, Raimundo Correia, denunciado a situação já esta quarta-feira ao Sol, quando uma moradora ameaça entrar hoje em greve de fome. 

Raimundo Correia afirmou que “o meu pai está sitiado”, explicando ao Sol que “fomos à PSP, por recearmos que isto volte a acontecer, temendo pela vida do nosso pai, a quem já cortaram a água e o gás, não podendo cozinhar, tendo-o ameaçado que iriam cortar-lhe a eletricidade. O filho de Agostinho diz que a situação se está a transformar “em um ‘barril de pólvora’.Não é próprio de um Estado de Direito a forma como estão a tratar as pessoas, nunca pensei que isto pudesse acontecer”, confessa.  

A Câmara Municipal de Viana do Castelo, que detém 40 por cento da Viana Polis, afirmou a propósito desta situação, através do seu presidente, José Maria Costa que “as pessoas, neste momento, estão a desobedecer a uma decisão do Tribunal, que é a de terem que abandonar as frações, porque são propriedade da Viana Polis”, acrescentando “estarmos a tomar posse, efetiva das frações, uma vez que a ocupação por parte das pessoas, neste momento, configura uma ocupação ilegal”, afirmou o autarca socialista José Maria Costa. 

A demolição do Prédio Coutinho, baseada em “poluição visual”, tem sido defendida pelos autarcas e governantes socialistas, especialmente por José Sócrates, o antigo político, que quando foi ministro do Ambiente se empenhou bastante na demolição do edifício, onde a Câmara Municipal de Viana do Castelo quer agora construir um novo mercado municipal. 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×