22/7/19
 
 
França. A onda de calor potencialmente perigosa que faz lembrar 2003

França. A onda de calor potencialmente perigosa que faz lembrar 2003

AFP Jornal i 24/06/2019 21:15

As temperaturas poderão atingir os 47ºC sentidos e Paris está em alerta laranja, o segundo nível mais alto. Tem sido lembrada a onda de calor de 2003, que matou cerca de 15 mil pessoas.

França vai enfrentar uma das mais fortes ondas de calor registadas nos meses de junho. São esperadas temperaturas a rondar os 40.ºC esta semana - durante seis dias seguidos -, com o pico a ser registado quinta e sexta-feira. O serviço de meteorologia francês, Météo France, emitiu um alerta laranja para a região de Paris, o segundo nível mais alto (o primeiro nunca foi ativado).

As temperaturas em junho costumam ser mais amenas, mas este início de verão promete trazer níveis recorde no continente europeu. Para além da França, a Alemanha, Suíça e Bélgica, também estão à espera de um calor avassalador. 

Mas é França que está mais em alerta, sobretudo na capital, onde as temperaturas vão estar entre os 35ºC e os 39ºC ao longo da semana. A câmara de Paris anunciou a instalação de fontes para o consumo de água pela cidade, enquanto as piscinas públicas se manterão abertas depois das 22h, algumas destas com acesso livre. Foi também feito um mapa dos 900 “lugares frescos” - 218 dos quais acessíveis durante a noite - e a situar as várias máquinas de neblina que foram montadas pela capital francesa, para refrescar a população. O mapa também indica salas públicas com ar condicionado, como livrarias ou museus, e vários parques com mais sombra para se estar “dentro da cidade” - embora Paris seja escassa em espaços verdes. A câmara garantiu também que alguns destes locais ficarão abertos durante a noite. 

 A sensação térmica - ou seja, a maneira como a temperatura é percecionada pelo nosso corpo - chegará aos 47 graus em Paris devido à humidade, o que levou as autoridades da capital a desenhar um projeto de distribuição de água entre idosos e sem-abrigo. “O mercúrio atingirá temperaturas incríveis com o nível de humidade no ar, a sensação será terrível”, disse o meteorologista Guillaume Séchet ao Le Parisien. 

Uma das maiores preocupações da presidente da câmara de Paris, Anne Hidalgo, é a crescente população sem-abrigo, onde estão incluídos muitos imigrantes que vivem em tendas de baixo da ponte e sob estradas. Hidalgo garantiu no domingo que o centro de La Chapelle - uma área com um número grande de pessoas indocumentadas - estaria “aberto sete dias por semana, com a capacidade para 400 duches por dia”.

A França ainda carrega o trauma da onda de calor de 2003 - caracterizada pelos meteorologistas como a pior onda de calor desde 1540 -, quando as temperaturas extremas levaram à  morte de 15 mil pessoas no país inteiro, chegando ao ponto de entupir as morgues da capital francesa. Nessa altura, um anticiclone impediu a precipitação no continente europeu e levou a temperaturas vinte a trinta por cento mais altas do que a média - só em França rondaram os 37ºC durante mais de uma semana. Algo que aumentou a consciencialização da população sobre as mudanças climáticas, levando a questionar a preparação da Europa.

“Quando comparamos com a massa de ar que se alastrou em 2003, o pulso de ar queimado do Saara que cairá sobre França não tem precedentes”, disse Séchet. O consenso é geral entre os meteorologistas, com François Gourand da Météo France afirmar que “esta onda de calor promete ser inédita para um mês de junho”. Os serviços meteorológico franceses enunciaram várias de medidas precaução: beber água em abundância; evitar o álcool; não fazer esforço físico.

Estas temperaturas extremas estão a ser provocadas por uma tempestade  sobre o oceano Atlântico, que criou uma alta pressão atmosférica sobre a região, trazendo uma massa de ar quente do Norte de África. Em Espanha, a Aemet, a agência de meteorologia espanhola, prevê temperaturas acima dos 35ºC na maior parte do país, e acima dos 40ºC em regiões do centro, como nos vales do Ebro, no Guadiana ou em Guadalquivir. A Alemanha também será afetada, com as temperaturas a rondar os 30ºC em Berlim, Hamburgo, Frankfurt e outras cidades. Na capital alemã, os termómetros deverão mesmo chegar aos 38ºC, esta quinta-feira.

Ao que parece, Portugal irá escapar a esta onda de calor. As temperaturas irão rondar os 20ºC no início da semana, com algumas previsões de chuva e aguaceiros nas diferente regiões do país. Na sexta-feira, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, prevê uma temperatura máxima de 30ºC em Lisboa, que não constituem motivos de preocupação.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×