11/11/19
 
 
Governo anuncia bolsas de estudo para jovens ciganos

Governo anuncia bolsas de estudo para jovens ciganos

Humberto Almendra Jornal i 24/06/2019 18:09

Cada um dos jovens contemplados por esta medida receberá 50 euros mensais para despesas relacionadas com a educação. Para além disso, contará com o apoio de um mentor que “o acompanhará na sua trajetória” e, para isso, tem de assistir a pelo menos 80% das aulas durante o ano letivo.

 

A Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, adiantou esta segunda-feira, em declarações ao jornal Público que, já a partir deste ano, serão atribuídas “bolsas de estudo, destinadas a jovens de qualquer ano do secundário que queiram continuar a estudar. Estes subsídios fazem parte do programa Roma Educa e são uma das medidas que integram a Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas (ENICC)”.

No dia em que se celebra o Dia Nacional do Cigano, a antiga vereadora da Câmara Municipal de Viseu explicou ainda que tem “muita esperança neste programa”. Cada um dos jovens contemplados por esta medida receberá 50 euros mensais para despesas relacionadas com a educação. Para além disso, contará com o apoio de um mentor que “o acompanhará na sua trajetória” e, para isso, tem de assistir a pelo menos 80% das aulas durante o ano letivo.

Sublinhe-se que já existem bolsas dirigidas aos jovens ciganos que pretendem aceder ao ensino superior: aliás, este ano serão atribuídas 33. Contudo, para Rosa Monteiro é relevante estender esta hipótese ao Ensino Secundário porque é “desde cedo, muito antes do superior, que começam as dificuldades.”

Recorde-se que a ENICC foi aprovada, pela primeira vez, em 2013 e visa “potenciar o impacto na melhoria das condições de vida das pessoas e comunidades ciganas”, sendo que surgiu como “uma plataforma para o desenvolvimento de uma intervenção alargada e articulada, onde os vários ministérios, municípios, organizações da sociedade civil, academia e comunidades ciganas, entre outras organizações, contribuem ativamente para a concretização dos objetivos traçados”, como se pode ler no site oficial do Alto Comissariado para as Migrações.

No Auditório do Centro de Formação Profissional em Marmelais de Baixo, em Tomar, Monteiro afirmou que os jovens ciganos poderão beneficiar também de programas de inserção profissional – no Norte, Centro e Alentejo, cujo propósito é que 10% dos participantes obtenham emprego.

No total, serão usados 1 milhão e 500 mil euros de fundos europeus, no programa, para levar a cabo iniciativas que têm que ver com orientação profissional, formação, sensibilização e informação para a promoção da comunidade cigana no mercado laboral.

Notícia corrigida às 19h09

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×