19/11/19
 
 
Falha de combustível e falta de experiência do piloto apontadas como causa do acidente com aeronave na A12

Falha de combustível e falta de experiência do piloto apontadas como causa do acidente com aeronave na A12

Jornal i 21/06/2019 19:18

Aeronave aterrou na A12 e provocou danos em três viaturas e ferimentos ligeiros no passageiro 

A paragem do motor da aeronave que aterrou de emergência na A12, no dia 12 de junho, ficou a dever-se a falha de combustível, em quantidade "marginal" para a viagem.

"A falha no fornecimento de combustível ao motor esteve na origem da paragem do mesmo", concluiu-se na investigação do acidente, levada a cabo pelo Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF).

De acordo com o relatório, a que agência Lusa teve acesso, o incidente com o ultraleve 'Flyer Pelican 500BR', que provocou danos em três viaturas e ferimentos ligeiros no passageiro da aeronave, ficou também a dever-se à "falta de experiência do piloto", além de o facto de a "quantidade de combustível a bordo, que embora suficiente para a viagem, era marginal".

O gabinete considerou ainda relevante para a falha: as lacunas na descrição dos sistemas e limitações nos manuais de montagem, manutenção e operação, bem como as "técnicas de pilotagem aplicadas em voo cruzeiro na condição de vento cruzado" neste modelo, cita a agência Lusa.

Para o GPIAAF, o acidente "coloca em evidência que o conhecimento cabal e completo dos sistemas das aeronaves monopiloto por parte dos pilotos é essencial para prevenir condições inseguras".

A aeronave levantou na manhã de 10 de junho do aeródromo da Tojeira, no concelho de Sintra, e tinha como destino a Vendas Novas. Antes da viagem o aparelho foi abastecido com 20 litros de gasolina, perfazendo 55 litros estimados "e não visualmente confirmados", segundo cálculos declarados pelo piloto.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×