03/03/2024
 
 
Roland Garros. Na terra batida não há quem o segure: Nadal faz 12 em 12

Roland Garros. Na terra batida não há quem o segure: Nadal faz 12 em 12

Bruno Venâncio 10/06/2019 17:37

O espanhol de 33 anos aumenta o registo lendário no torneio de Paris e já só está a dois Grand Slams de apanhar Roger Federer: 18 contra 20.

Podem dar-se as voltas que se quiser dar; encontrar este, aquele e o outro desafiador; analisar a temperatura, o ambiente, a humidade, o que se quiser: se Rafael Nadal chega à final de Roland Garros, Rafael Nadal ganha a final de Roland Garros. Já tinha acontecido 11 vezes no passado: havia mesmo quem duvidasse que iria voltar a acontecer ontem? Pois...

Dominic Thiem deu muita luta. É verdade. O austríaco de 25 anos, número quatro do mundo, fez um torneio irrepreensível até esta fase, destacando-se o triunfo nas meias-finais sobre Novak Djokovic, líder da hierarquia mundial (em cinco parciais, por 6-2, 3-6, 7-5, 5-7 e 7-5, num encontro que durou mais de quatro horas e que se estendeu por dois dias, tendo sido interrompido diversas vezes devido à chuva).

Este domingo, porém, e no que era uma reedição da final do ano passado, Nadal foi mais forte. Começou por vencer 6-3, permitindo ainda um ténue esboço de recuperação por parte de Thiem (5-7, no primeiro set perdido em finais de Roland Garros por Nadal desde... 2014), para depois arrasar por completo o oponente com um duplo 6-1. Três horas depois do início, o espanhol de 33 anos (visto por muitos como o maior desportista de sempre do seu país) cantava vitória pela 12.ª vez – terceira consecutiva – no torneio de Paris, o qual só não venceu em três das 15 ocasiões em que participou.

“Não tenho palavras para explicar o que sinto. É um sonho chegar aos 12 títulos, depois de jogar a primeira vez em Paris em 2005. É um momento muito especial”, declarou Nadal logo após o fim da partida, reservando palavras muito elogiosas para com o adversário, a quem se dirigiu diretamente: “A intensidade e a paixão que tens por este desporto é incrível. És muito trabalhador e tens sempre um sorrido na cara, és uma excelente pessoa, e isso é o mais importante. És um exemplo para mim e para os mais novos. Continua assim e vais seguramente ganhar Roland Garros.”

Thiem, por seu lado, reagiu da mesma forma em relação ao espanhol, a quem apelidou de “uma lenda do ténis”. “Rafa, parabéns. Estou muito triste por ter perdido, mas és um grande campeão. Temos de nos dar por satisfeitos por te termos a jogar. Ganhar 12 títulos é simplesmente irreal”, salientou o tenista austríaco.

federer ali tão perto Com este título, Rafael Nadal soma agora 18 conquistas do Grand Slam, ficando a apenas duas do recorde absoluto, detido por outra lenda da modalidade – e também ele ainda em atividade: Roger Federer. Curiosamente, o terceiro lugar desta contabilidade é também ocupado por um atleta ainda em competição, e inclusive o atual número um do mundo: Novak Djokovic, eliminado por Thiem nas meias-finais (15 títulos). Pete Sampras, com 14, e Roy Emerson, com 12, fecham o top-5.

 

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline