17/6/19
 
 
Desleixo, incongruências e pontas soltas. A destruição de Game of Thrones em seis passos

Desleixo, incongruências e pontas soltas. A destruição de Game of Thrones em seis passos

DR Jornal i 21/05/2019 21:19

Depois de George R. R. Martin ter decidido não escrever, por enquanto, o final de uma das séries mais aclamadas do século, a pressão da HBO levou os produtores David Benioff e D. B. Weiss a decidir o final televisivo da saga - e quem seria o novo rei dos sete reinos. Apesar de haver quem tenha apreciado o final, muitos dos fãs criticam as decisões dos produtores. 

 

Um elenco dececionado: Ainda durante a emissão da última temporada, os fãs reuniram-se para exigir um novo capítulo alternativo para a série. Mais de um milhão de pessoas assinaram uma petição em que acusavam os coordenadores de “incompetência” e afirmavam que os fãs mereciam um final diferente. Não foram apenas os fãs que se mostraram insatisfeitos. Também alguns membros do elenco confessaram estar tristes com o final que foi dado às suas personagens. Kit Harrington, que interpreta Jon Snow, apelidou a última temporada de “dececionante” e Lena Headey, mais conhecida por Cersei Lannister, confessou esperar mais da morte da sua personagem. “Queria que ela tivesse uma grande luta com alguém”, disse à Entertainment Weekly. 

 

De heroína a vilã em dois episódios: Uma das críticas mais duras deve--se ao destino da personagem de Daenerys Targaryen, que é morta por Jon Snow no final. Em apenas dois episódios, a Mãe de Dragões e Quebradora de Correntes passou de heroína que luta pela liberdade a vilã louca pelo poder. Dany, a jovem que chorou quando os seus filhos dragões mataram uma criança, decidiu chacinar milhares de pessoas para conseguir chegar ao trono depois de ver os seus entes queridos morrerem. Mesmo depois de o povo de King’s Landing se render, continuou a lançar chamas por todas as pessoas que se encontravam no reino. A atriz Emilia Clarke confessou numa entrevista exclusiva à EW ter chorado quando leu o guião do último episódio: “Isto surgiu do nada. Nunca pensei que isto pudesse acontecer”.

Onde ficaram as mulheres?: Antes da temporada 8, muitos fãs aplaudiam o protagonismo dado a personagens femininas. Com Cersei Lannister no trono de King’s Landing, a sua maior adversária era também uma mulher - Daenerys Targaryen, a Mãe de Dragões que, apoiada por milhares, conquistou novos reinos e libertou dezenas de povos da escravidão. Mas bastaram alguns episódios para a ideia de que uma mulher deve governar ter mudado. Passadas oito temporadas, quando se descobre que Jon Snow é o verdadeiro herdeiro ao trono, Varys, o conselheiro de Daenerys, não hesita em dizer a Tyrion que Jon é uma escolha mais sensata, em grande parte devido a ser homem. Apesar de Snow nunca ter vencido nenhuma batalha por si mesmo (Arya ajudou-o na Batalha de Winterfell e Sansa na Batalha dos Bastardos), a população de Westeros, os conselheiros de Daenerys e grande parte dos fãs de Guerra dos Tronos queriam ver Jon no trono de ferro em vez de Dany. 

Os 360 graus de Jon Snow: Jon Snow, uma das personagens mais adoradas pelos fãs, acabou por regressar à Night’s Watch, onde tinha começado a sua jornada. Depois de ter matado Daenerys, Snow perdeu a sua oportunidade de subir ao trono, visto os apoiantes da Mãe de Dragões o terem acusado de ser um criminoso e um assassino. Para uma personagem como Jon, um bastardo de Ned Stark que alcançou o respeito e amor dos Nortenhos, que o aclamaram como o rei no Norte e que acabou por se revelar o verdadeiro herdeiro Targaryen ao trono, voltar ao início foi algo bastante criticado pelos fãs, que acreditavam que Snow iria liderar de forma honesta e correta os sete reinos de Westeros. 

Afinal, o que há para lá da muralha?: Os fãs de Game of Thrones criticaram bastante a luta entre os vivos e os mortos do terceiro episódio da última temporada. Quando finalmente Bran, o Corvo de Três Olhos, e o Rei da Noite se encontraram, esperava-se um maior entendimento sobre as intenções do Rei da Noite. Mas não. Os produtores decidiram que mal os dois se aproximassem, Arya mataria o Rei da Noite, deixando os mistérios sobre o outro lado da Muralha por desvendar. Mas não foi esta a única ponta que ficou solta com o desfecho televisivo da série: também o destino de Drogon foi deixado ao acaso. Depois de se aperceber de que a sua mãe tinha sido morta, o dragão desaparece entre as nuvens com o corpo de Daenerys. 

Um copo, uma garrafa e o abraço que faltou: O copo de café encontrado no quarto episódio de Guerra dos Tronos trouxe críticas aos realizadores e foi uma das situações mais comentadas nas redes sociais. Muitos dos fãs afirmaram que o esquecimento do café mostrava desleixo por parte da produção nesta última temporada. Entretanto, veio a público que a razão para, no adeus a Winterfell, Jon Snow não se ter despedido de Ghost, o seu lobo, se deveu à complexidade a que a cena obrigaria em termos de efeitos especiais. No último episódio, mais uma falha foi encontrada pelos fãs e já está a percorrer as redes sociais: uma garrafa de água foi encontrada aos pés de Samwell Tarly durante uma reunião do conselho dos senhores e senhoras de Westeros. Até à data, a HBO ainda não reagiu ao aparecimento da garrafa. 

 

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×