11/11/19
 
 
Theresa May vai oferecer a possibilidade aos deputados de realizarem um segundo referendo

Theresa May vai oferecer a possibilidade aos deputados de realizarem um segundo referendo

AFP Jornal i 21/05/2019 19:50

A primeira-ministra britânica vai apresentar o novo acordo no início de junho à Câmara dos Comuns.

Numa tentativa de ver o acordo do Brexit aprovado – já chumbado em três ocasiões - a primeira-ministra britânica, Theresa May decidiu oferecer a possibilidade aos deputados de aprovarem a realização de um segundo referendo. Apesar de considerar que “o resultado do primeiro referendo deve ser implementado” May reconhece a importância da Câmara sobre a questão.

May declarou que todos os deputados que pretendam realizar um segundo referendo de confirmação do acordo “devem obrigatoriamente apresentar um acordo" mas para isso é necessário que a proposta de lei seja aprovada primeiro para depois se proceder à ratificação. 

Num discurso intitulado “Um novo acordo do Brexit: encontrar um consenso no Parlamento", onde relembra os acontecimentos desde o referendo de 23 de Junho de 2016, a primeira-ministra comprometeu-se não só em garantir a possibilidade de um novo referendo, como em apresentar na nova proposta em junho.

Os direitos dos trabalhadores, a protecção ambiental, a situação entre o país e a Irlanda do Norte e a união aduaneira – área de livre comércio que existe na UE - são alguns dos temas que May abordou e que promete apresentar na nova proposta na tentativa de levar o Brexit para a frente.

A primeira-ministra prometeu manter muitas das coisas que a União Europeia garante, mesmo depois de o país sair. Theresa May garante que não irá ocorrer alterações nos níveis de proteção ambiental, que o governo irá manter um comércio de bens em linha e que as regras para os produtos agrícolas e agro-pecuárias se manterão iguais. “Este acordo não é a palavra final sobre o nosso futuro relacionamento com a UE, é um trampolim para alcançar esse futuro", apelou May.

Durante o discurso, a mulher que luta para ver o seu país sair da UE há quase três anos disse que sempre soube que fazer acontecer o Brexit não seria fácil mas que a realidade “revelou-se mais difícil do que imaginava”.

O discurso da primeira-ministra já está a ser comentado entre os deputados e a população e as opiniões sobre a possível aprovação do novo acordo têm-se mostrado em grande parte negativas.

O líder do partido trabalhista, Jeremy Corbyn disse, em declarações à BBC, que não apoiaria o projeto e que não vê o “novo acordo” a ser aprovado no Parlamento."É basicamente uma repetição do que já foi discutido e não faz nenhum movimento fundamental no alinhamento do mercado, na união aduaneira ou mesmo na proteção dos direitos".

Jacob-Rees Mogg, deputado conservador e líder de um bloco pró-Brexit disse na sua conta de Twitter que “as propostas da primeira-ministra são piores do que as anteriores e que deixariam o país profundamente ligado à União Europeia.

Sem acordo aprovado, os britânicos irão eleger eurodeputados para o Parlamento Europeu, não sabendo se estes chegarão ou não a assumir os seus lugares. Tudo vai depender da aprovação - ou não - dos deputados ingleses ao novo acordo de May. 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×