14/10/19
 
 
Um guia para a ARCO para lá da ARCO

Um guia para a ARCO para lá da ARCO

Cláudia Sobral 16/05/2019 19:31

De regresso à Cordoaria Nacional está, entre hoje e o próximo domingo, a ARCOlisboa – Feira Internacional de Arte Contemporânea. Num fim de semana ao longo do qual por toda a cidade se multiplicam as inaugurações em galerias e museus – o programa paralelo da feira inclui uma lista de mais de 60 –, dez ideias para um percurso pela ARCOlisboa para lá dos stands da feira.

Prémio Novos Artistas

Isabel Madureira Andrade, AnaMary Bilbao, Dealmeida Esilva, Mónica de Miranda, Henrique Pavão e Diana Policarpo são os seis finalistas do Prémio Novos Artistas da Fundação EDP, à sua 13.ª edição. Os finalistas para o prémio que no passado distinguiu Joana Vasconcelos, Vasco Araújo, João Maria Gusmão e Pedro Paiva, Gabriel Abrantes, entre outros, foram selecionados entre mais de 500 candidatos por Inês Grosso, Sara Antónia Matos e João Silvério, curadores da exposição, inaugurada ontem no MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia.

Spaces in Between

A partir de um palacete em plena Baixa lisboeta – Rua da Madalena, 179 – Spaces in Between abre um outro capítulo à participação da galeria angolana This Is Not a White Cube nesta ARCOlisboa. Com a pesquisa, a criação e o colecionismo africano em foco, a exposição reúne um conjunto de artistas africanos de várias gerações e contextos geográficos, unidos por “práticas centradas numa política antirracista, feminista, diaspórica e de reinvenção”, entre “espaços arquiteturais, identitários e de memória, afetivos e imaginários”.

Memórias da Plantação

Plantation Memories. Episodes of Everyday Racism, compilação de episódios quotidianos de racismo da autoria da artista multidisciplinar Grada Kilomba, chega finalmente a Portugal. Com o título Memórias da Plantação, o livro editado pela Orfeu Negro é apresentado nesta sexta- -feira, às 21h, no Hangar (Rua Damasceno Monteiro, 12), com uma conversa entre a artista e Cristina Roldão – e a projeção de instalações de vídeo de Grada Kilomba, com um DJ set de Yen Sung.

Once in a Lifetime [Repeat]

Na Culturgest, Once in a Lifetime [Repeat] percorre as várias dimensões da obra de João Onofre, com 20 anos de produção e um novo trabalho – Untitled (zoetrope) – concebido propositadamente para esta exposição com curadoria de Delfim Sardo. No âmbito da exposição é ainda apresentada a performance Box sized DIE featuring Holocausto Canibal, que pode ser vista ainda uma última vez nesta sexta-feira, às 22h30, dia em que a exposição pode ser excecionalmente visitada até à meia-noite.

Good Apples | Bad Apples

Na Galeria Cristina Guerra, uma das 52 integradas no programa geral desta ARCOlisboa, com uma seleção de trabalhos de Adriana Barreto, André Cepeda, Luís Paulo Costa, Ângela Ferreira, João Maria Gusmão e Pedro Paiva, José Loureiro, Matt Mullican, João Onofre, Julião Sarmento, Rui Toscano, Yonamine e Rosângela Rennó, acaba de ser inaugurada Good Apples | Bad Apples, uma exposição desta última artista brasileira, que recorre habitualmente a fotografias de arquivos públicos e privados para a produção de obras de fotografia, objetos e instalações.

Bárbara Wagner & Benjamin de Burca / Jesse Wine

As fotografias de Bárbara Wagner (Brasília, 1980) e Benjamin de Burca (Munique, 1975) juntam-se às esculturas em cerâmica do inglês Jesse Wine (Chester, 1983) numa exposição que a Fortes D’Aloia & Gabriel inaugura, durante esta ARCOlisboa, no Escritório Lisboa (Praça Luís de Camões, 22, 4.º andar). Um conjunto de obras em torno do tema do corpo – no caso de Wagner & de Burca produzidas para a série Swinguerra, apresentada no Pavilhão do Brasil na 58.ª Bienal de Veneza.

Ponto de Fuga

Na Galeria do Torreão Nascente da Cordoaria, as Galerias Municipais inauguram, em parceria com o Museu de Arte Contemporânea de Elvas, Ponto de Fuga. Com curadoria de João Laia, uma exposição coletiva montada a partir de obras pertencentes à Coleção António Cachola, às quais se somaram algumas adquiridas para esta exposição. Dividida em dois momentos, reúne até 1 de junho obras de Ana Manso, André Cepeda, Andreia Santana, Diogo Evangelista, Horácio Frutuoso, Joana Conceição, Jonathas Uliel Saldanha, José Pedro Croft, Luisa Cunha, Mariana Silva, Pedro Neves Marques, Ramiro Guerreiro e Von Calhau.

Uige

Na Casa dell’Arte Club House (Campo de Santa Clara), a artista portuense Rita GT, que, dividida entre Portugal e Angola, tem centrado o seu trabalho em temas como a identidade colonial e a memória, questões de género e direitos humanos, inaugura neste sábado a exposição individual Uíge. A exposição pode ser visitada às terças, quartas e sábados, entre as 11h e as 16h, ou noutros horários por marcação através do email mervep@gmail.com.

Aviso

Na Nanogaleria, Nuno Nunes-Ferreira inaugura Aviso. A quarta exposição a ser inaugurada por este “nanoprojeto” curatorial independente que Luísa Santos e Ana Fabíola Maurício montaram na montra do ateliê do artista Miguel Palma (Rua do Centro Cultural, 11), em Alvalade. Do mesmo artista – e no mesmo bairro – é possível visitar ainda Dois Anos e Meio, na Balcony (Rua Coronel Bento Roma, 12A).

Oil Rooms

Instalada desde terça-feira nas Carpintarias de São Lázaro, o centro cultural recentemente reinaugurado na Rua de São Lázaro, em Lisboa, está Oil Room, do norueguês Per Barclay. Exibida já no Centre de Création Contemporaine Olivier Debré, de Tours, na Cavallerizza Palazzo Mazzarino, em Palermo, no CACMálaga ou na Manifesta 12, esta instalação site-specific de Per Barclay coloca em diálogo a realidade com a sua imagem, refletida num mesmo espaço. A exposição estará patente até 28 de julho.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×