17/9/19
 
 
Morreu John Singleton, um dos pioneiros de Hollywood

Morreu John Singleton, um dos pioneiros de Hollywood

AFP Mariana Madrinha 30/04/2019 20:01

Singleton foi o mais jovem realizador a ser indicado ao Óscar, roubando assim o recorde a Orson Welles, em 1991.

O realizador e argumentista John Singleton morreu na passada segunda-feira, aos 51 anos, depois de ter passado as últimas duas semanas  ligado a uma máquina de suporte de vida no  Cedars-Sinai Medical Center, em Los Angeles, depois de ter sofrido um enfarte. As lesões eram irreversíveis, e a família acabou por decidir desligar as máquinas no início desta semana, lembrando na mensgaem de despedida um homem que foi “um prolífero e inovador realizador, que mudou e abriu portas em Hollywood”.

As portas começaram a abrir-se em 1991. John Singleton tinha 23 anos quando lançou Boyz N the Hood (A Malta do Bairro), que lhe valeria no ano seguinte uma nomeação ao Óscar de Melhor Realizador - o filme seria ainda nomeado na categoria de  Melhor Guião Original. Singleton tornou-se então no  primeiro afro-americano a receber a nomeação, e continua a ser o mais jovem realizador a ter conseguido o feito - na altura, o recorde durava há 50 anos e pertencia a Orson Welles (por Citizen Kane). O Óscar em 1992 acabou por ser entregue a Jonathan Demme por O Silêncio dos Inocentes.

Slingleton nasceu em janeiro de  de 1968, na zona de South Central, em Los Angeles. Boyz N the Hood, que foi também a sua rampa de lançamento no mundo do cinema, baseia-se nos seus primeiros anos de vida e a experiência de crescer num bairro considerado problemático, marcado pela criminalidade, pobreza e exclusão social. O realizador estudou na University of Southern California’s School of Cinematic Arts - terminou a formação um ano antes de rodar A Malta do Bairro - e tornou-se numa espécie de pioneiro para os realizadores afro-americanos na década de 90. O filme sentou-o à mesa de outros realizadores afro-americanos com crédito firmados, como Spike Lee, Bill Duke, Julie Dash, e lançou para o estrelato Cuba Gooding Jr., Ice Cube ou Regina King, que contracenaram com o já experiente Laurence John Fishburne.

 Depois de A Malta do Bairro - o único filme pelo qual seria apontado aos Óscares - dirigiu Poetic Justice (1993), Higher Learning (1995) e Rosewood (1997). Em 2003, realizou o  segundo filme da saga Velocidade Furiosa, protagonizada por Paul Walker - falecido em 2013 -  e Vin Diesel e cujas subsequentes sequelas, lançadas nos anos seguintes, continuaram a ser um sucesso de bilheteiras. Ainda nesse ano, particiou como ator em Baadasssss! (de Mario Van Peebles). Na televisão, dirigiu também alguns episódios de Empire, The People v. O.J. Simpson: American Crime Story e Billions e  trabalhou ainda como produtor de alguns dos seus próprios filmes, como Hustle & Flow (2005).

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×