15/10/19
 
 
25 de Abril. Vai ser bonita a festa, pá

25 de Abril. Vai ser bonita a festa, pá

É principalmente a música o veículo das festas de comemoração dos 45 anos do 25 de Abril, que hoje começam a irromper, e não se julgue que de mansinho, pelas principais praças do país. O epicentro é duplamente simbólico: a juntar Fausto e o Terreiro do Paço para “Música e Revolução”. Um concerto inédito. Também Sérgio Godinho e Jorge Palma terão os seus palcos, por outras cidades do país. Em Grândola, Zeca Afonso será igualmente revisitado, num concerto dos UHF.

Fausto Bordalo Dias, Lisboa

Pináculo (quase) indiscutível das comemorações dos 45 anos do 25 de Abril será este concerto de Fausto, que quebra o silêncio a que se costuma votar fora dos palcos exatamente em cima de um: o da Praça do Comércio. Leva no saco o repertório de sempre, ao qual junta as canções de hoje “como só ele sabe fazer”, diz a EGEAC na nota de divulgação do concerto. Antecedido por um espetáculo de videomapping projetado nas fachadas do Terreiro do Paço, onde ao longo de 20 minutos as memórias de Abril - tanto do dia que ditou o fim da ditadura, como alguns momentos antes e depois da Revolução - serão evocadas com recurso à imagem, Fausto sobe ao palco acompanhado por Banda & Orquestra. Aqui a direção caberá ao maestro Cesário Costa, e será com esta  equipa de luxo que Fausto, protagonista de Música e Revolução, interpretará mais de 20 temas com arranjos de Filipe Raposo. Durante as duas horas programadas de concerto, os versos de Fausto, que se confundem com a mensagem de Abril, farão eco no Terreiro do Paço, 45 anos depois de Salgueiro Maia ali ter parado para lidar com a primeira grande escaramuça da noite da Revolução. Numa das suas canções históricas, Fausto canta que “quem oprime tiraniza” - hoje é a noite perfeita para um coro de gente se lhe juntar. Praça do comércio, 21h30 Entrada gratuita

Sérgio Godinho, Loures

Em Loures, onde os 45 anos do 25 de Abril começaram a comemorar-se já em março, com um conjunto de exposições e mostras documentais, a festa chega ao seu auge esta noite, com o espetáculo Vozes ao Alto, no pavilhão Paz e Amizade, a partir das 22h. Encabeçado por Sérgio Godinho, o cartaz conta ainda com Rita Redshoes e o maestro António Saiote, natural de Loures e resistente antifascista. Também hoje é inaugurado pela autarquia, junto ao Parque da Cidade de Loures, um monumento evocativo dos 45 anos do 25 de Abril de 1974, da autoria do escultor José Aurélio. Pavilhão paz e amizade, 22h

Pop da Revolução, Seixal

Com direção artística de Rui Júnior, produção do Tocá Rufar e de Nação Valente e direção musical de Tiago Pais Dias, dos Amor Electro, o espetáculo musical e visual Pop da Revolução junta na noite deste 24 de abril um conjunto de artistas locais e nacionais para comemorar o 25 de Abril. Numa produção que contará com suporte multimédia e efeitos visuais e pirotécnicos, o alinhamento incluirá a interpretação de vários temas que marcaram a história do país e da música portuguesa, de 1974 até à atualidade. Zona ribeirinha do Seixal, 19h

A Revolução passa por aqui, Tokyo (Lisboa)

Descrita como “a verdadeira, a única, a emocionante” comemoração do 25 de Abril, que regressa uma vez mais ao Tokyo, no Cais do Sodré, em Lisboa. Para os saudosos da “célebre noite”, assim é anunciada a festa que ao longo dos anos foi ocupando o Tokyo na madrugada de 24 para 25, a promessa é a de que ali se dançarão (e cantarão) as músicas da Revolução. De preferência, com “outro amigo também”. A partir das 23h30, um concerto de canções de Abril com Romeu Bairos, seguido de um set de músicas de Abril, de novo, selecionadas por Mário Dias e Pedro Rodrigues. Tokyo Bar, 23h30

Joge Palma, Setúbal

Em Setúbal, as comemorações estendem-se por três dias. Já nesta noite de 24 de abril, Jorge Palma atua na Praça do Bocage, num concerto de entrada livre que antecede o fogo de artifício na Doca dos Pescadores. Amanhã, depois do hastear da bandeira nos Paços do Concelho e da habitual homenagem aos antifascistas no Monumento à Resistência, na Avenida Luísa Todi, tem início a 14.ª edição da Corrida da Liberdade, com partida no Parque da Lanchôa. As comemorações estendem-se até dia 26, com um espetáculo de Samuel Úria e Lavoisier no Fórum Luísa Todi. Praça do Bocage, 22h

Kumpania Algazarra, Porto

No Porto, o programa oficial de comemorações do 25 de Abril arranca também na noite desta quarta-feira, com Kumpania Algazarra a dar início à festa, com uma atuação na Av. dos Aliados, a partir das 22h. Pouco antes da meia noite, a anteceder o fogo de artifício a marcar a chegada do Dia da Liberdade, haverá ainda uma apresentação do Coral da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. No dia seguinte, Rui Moreira inaugura no átrio dos Paços do Concelho a exposição A Substância do Tempo - 25 fotografias de Sérgio Valente, 45 anos depois do 25 de Abril, com curadoria de Carlos Magno. Av. dos Aliados, 22h

UHF e Strereossauro, Grândola

Em ano de 45 anos do 25 de Abril, Grândola propõe-se a voltar a dar “mais força à Liberdade”, com uma programação que começou já no início de Abril e que se intensifica por estes dias. Hoje os UHF celebram quatro décadas de atividade, a partir das 22h30, num concerto que não deixará de fora alguns dos temas de “A Herança do Andarilho”, disco que editaram em 2018 inspirados na obra de José Afonso, o músico que ligou o nome de Grândola aos ideiais da liberdade. Depois de UHF, sobe ao palco Stereossauro, reinventando a música de intervenção portuguesa. Pav. do Parque de Feiras e Exposições, 22h30

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×