19/8/19
 
 
Bloco preocupado com despejo da Liga Contra o Cancro em Braga

Bloco preocupado com despejo da Liga Contra o Cancro em Braga

DR Joaquim Gomes 16/02/2019 17:02

A Delegação de Braga da Liga Portuguesa Contra o Cancro encontra-se na sede da Junta de Freguesia da Sé, contando com cinco funcionários e doze voluntários, mas terá de sair, até ao mês de maio

O Bloco de Esquerda manifestou-se preocupado com a iminência da Delegação de Braga da Liga Contra o Cancro ficar sem instalações, depois do presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, ter confirmado esta semana na reunião camarária não dispor, nem agora nem num futuro próximo, de espaço alternativo para aquela instituição humanitária, quando questionado publicamente por Artur Frio, líder da vereação socialista bracarense.

António Lima, um dos dois deputados municipais do Bloco de Esquerda, no final de uma reunião com as responsáveis da Delegação da Liga Portuguesa Contra o Cancro, criticou “a insensibilidade às questões sociais” dos órgãos autárquicos locais, “tanto da União de Freguesias da Maximinos, Sé e Cividade, como também da Câmara Municipal de Braga”.

O deputado municipal diz-se otimista em relação à obtenção de uma solução, “atendendo à importância social do serviço público da instituição”, que tal como o i e Sol já revelaram, corre o risco de ir para o olho da rua, apesar de apoiar, mensalmente, mais de oitenta utentes do concelho, com serviços de psicologia, terapia reiki, meditação e apoio jurídico.

A Delegação de Braga da Liga Portuguesa Contra o Cancro encontra-se na sede da Junta de Freguesia da Sé, contando com cinco funcionários e doze voluntários, mas terá de sair, até ao mês de maio, segundo comunicou à instituição o presidente da União de Freguesias da Maximinos, Sé e Cividade, Luís Pedroso, invocando “a necessidade daquele espaço”.

Alexandra Vieira, a outra deputada municipal do Bloco de Esquerda presente na reunião, afirmou por sua vez que “é essencial preservar a atividade que estas pessoas praticam junto de camadas mais frágeis da população, como doentes, cuidadores e familiares, pelo que deverá ser encontrada uma solução que permita manter ou melhorar as instalações”. Por isso, o Bloco de Esquerda anunciou que apresentará, durante a próxima Assembleia Municipal de Braga, “uma proposta para resolver este impasse”, que está a chocar muitas pessoas da sociedade bracarense, dado o trabalho desenvolvido em Braga pela Delegação da Liga Portuguesa Contra o Cancro, presidida por Fátima Soeiro, igualmente na reunião.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×