16/9/19
 
 
Brasil. Juíza deixou Lula sair da prisão para ir ao funeral do irmão. Autorização não chegou a tempo

Brasil. Juíza deixou Lula sair da prisão para ir ao funeral do irmão. Autorização não chegou a tempo

AFP Photo Jornal i 30/01/2019 18:42

Ex-presidente do Brasil está preso desde abril do ano passado

O antigo presidente do Brasil teve autorização para sair da prisão para prestar uma última homenagem ao irmão, mas acabou por recusar esta possibilidade.

Genival Inácio da Silva, irmão de Lula, morreu na passada terça-feira, aos 79 anos, vítima de cancro. O funeral decorreu esta tarde.

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu esta tarde que Lula pode sair da prisão, poderá contactar com parentes, em São Bernardo do Campo, em São Paulo, mas está proibido de prestar declarações públicas. "Concedo ordem de 'habeas corpus' de ofício para, na forma da lei, assegurar, ao requerente Luiz Inácio Lula da Silva o direito de se encontrar exclusivamente com os seus familiares, na data de hoje, em Unidade Militar na região, inclusive com a possibilidade de o corpo ser levado à referida unidade militar, a critério da família", refere a decisão.

No entanto, o ex-líder do Partido dos Trabalhadores (PT) recusou esta possibilidade, visto não existirem condições para adiar o funeral, por forma a dar tempo a Lula de chegar ao local do enterro.

“Infelizmente não deu tempo para que o Presidente pudesse se deslocar para cá para dar o último adeus ao 'Vavá'. Nós já estávamos com o corpo no túmulo, não tinha como parar o enterro. Amanhã [quinta-feira] já é dia de visita familiar. A família estará com o ex-Presidente, vai falar com ele. O que o Lula [da Silva] queria e nós queríamos era que ele pudesse ter visto o irmão pela última vez", disse Gleisi Hoffmann, presidente do PT, ao jornal brasileiro Folha de São Paulo.

Recorde-se que Lula da Silva, que foi presidente do Brasil de 2003 a 2010, está preso na Polícia Federal em Curitiba desde 7 de abril do ano passado. Foi condenado a uma pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e branqueamento de capitais, no âmbito da operação Lava Jato.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×