25/8/19
 
 
Mamadou Ba ao i. “Não vou alimentar mais esta novela mexicana”

Mamadou Ba ao i. “Não vou alimentar mais esta novela mexicana”

Jornal i 29/01/2019 11:07

Dirigente da SOS Racismo pediu proteção policial depois de tersofrido ameaças.

Mamadou Ba, dirigente do SOS Racismo, protagonizou na passada semana um dos momentos mais polémicos, após os incidentes entre moradores e PSP, no Bairro da Jamaica e também, depois do incidentes na Avenida da Liberdade, em Lisboa.  Nas redes sociais, o ativista referiu-se à polícia como “a bosta da bófia”. “Sempre fui contundente e não vou deixar de ser contundente. Não percebo como é que um país inteiro se consegue indignar por um vernáculo em comparação com o tamanho da violência que se abateu sobre aqueles cidadãos. Não vou alimentar mais esta novela mexicana”, diz ao i o ativista no rescaldo de uma semana tensa em que acabou por anunciar que iria pedir proteção policial, depois de sofrer ameaças e ter sido confrontado por elementos do PNR, partido de extrema-direita, que o acusaram de promover o “ódio racial”.

O pedido de proteção policial já seguiu, mas a PSP limitou-se a dizer ao i que “não faz qualquer comentário relativamente a situações, concretas ou hipotéticas, no âmbito da proteção policial de pessoas”.

E Mamadou Ba não quer mais falar do assunto porque se trata da sua “segurança pessoal”. Questionado pelo i sobre se manteria a frase que levantou tanta polémica, Mamadou Ba responde: “Se eu tivesse usado uma outra expressão, não me parece que tivesse levantado nenhuma celeuma. O que se está a tentar fazer é aproveitar-se, provavelmente, de uma expressão vernacular para desviar as atenções do que nós temos de discutir. Que é? Se é aceitável ou não, numa democracia, aquela intervenção. Do meu ponto de vista não é aceitável”. O dirigente do S.O.S Racismo também é assessor do Bloco de Esquerda há vários anos.

Contudo, insiste que é preciso separar os papéis. Mais, quem quiser colar a sua atividade na SOS Racismo ao BE “está apenas a querer fazer chicana política”. Para evitar mais polémicas, Mamadou Ba também não respondeu ao deputado do PSD, João Moura que o manda à “bardam****”. “ O que importa na sociedade portuguesa é discutir se há racismo no país”, disse Mamadou Ba. Entretanto, o conselheiro nacional do PSD Rui Rufino também se pronunciou no Facebook e colocou-se ao lado do deputado. “João Moura disse e bem que o Mamadou é um Ba(rdamerda) e eu acrescento hipócrita (chama bosta à policia e depois pede proteção policial)”. Questionado pelo i se vê com bons olhos a visita de todas as forças políticas ao Bairro da Jamaica,  Mamadou Ba respondeu: “Não quero que a extrema-direita vá à [bairro da] Jamaica. Não quero lá o PNR nem outros partidos que professam o racismo”.

 
 
 
Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×