19/11/19
 
 
Presidente da Câmara de Gdansk assassinado

Presidente da Câmara de Gdansk assassinado

UNHCR/Rafal Kostrzynski Jornal i 14/01/2019 19:53

Pawel Adamowicz foi esfaqueado no peito durante um evento de caridade, e faleceu esta segunda-feira. Era uma voz crítica do governo conservador polaco

Pawel Adamowicz, de 53 anos, presidente da Câmara de Gdansk, na Polónia, morreu esta segunda-feira, após ser esfaqueado no peito este domingo, no palco de um evento de caridade. Adamowicz foi operado durante mais de cinco horas, não tendo os profissionais de saúde conseguido salvar a sua vida, devido à gravidade dos ferimentos. 

O alegado assassino, um homem de 27 anos de Gdansk com um cadastro de violência, foi libertado da prisão o mês passado. Depois de esfaquear Adamowicz, o atacante disse pelo microfone ao público que culpava o antigo partido do presidente da Câmara, o Plataforma Cívica, pela sua prisão em 2014 por uma série de crimes violentos. Adamowicz juntou-se à oposição democrática formada em Gdansk durante os anos oitente, sob a liderança de Lech Walesa. Após deixar a Plataforma Cívica, foi eleito para uma sexto mandato como independente. 

Adamowicz disfrutava de grande popularidade na sua cidade, onde cumpria o sexto mandato como presidente da Câmara. Era conhecido pela sua defesa de imigrantes, refugiados e pessoas LGBT, tal como sendo uma voz influente da oposição ao governo conservador do Partido Lei e Justiça (PiS). O governo polaco é acusado de um crescente autoritarismo, e existe uma prevalência cada vez maior do discurso de ódio no país, estando vários protestos marcados já antes da morte de Adamowicz. Apesar do aumento da tensão social, não surgiram ainda indícios que o ataque fosse politicamente motivado.  

Segundo uma porta-voz do PiS, Jaroslaw Kaczynski, líder do partido, terá expressado "uma grande dor pela morte trágica, devida a um ataque criminoso contra o presidente de Câmara Pawel Adamowicz". O presidente da Polónia, Andrzej Duda, irá reunir com os líderes de todos os partidos para organizar uma marcha contra o ódio e a violência. Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, e antigo líder do Plataforma Cívica, escreveu: "Pawel Adamowicz, presidente da Câmara de Gdansk, homem de solidariedade e liberdade, europeu, meu bom amigo, foi assassinado. Descanse em paz." 

A mulher de Adamowicz, Magdalena, estava nos EUA a visitar a sua filha, e está de momento a regressar à polónia. 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×