18/10/19
 
 
Taça da Ásia. Para Carlos Queiroz e Paulo Bento foi fácil como um domingo de manhã

Taça da Ásia. Para Carlos Queiroz e Paulo Bento foi fácil como um domingo de manhã

Afonso de Melo 14/01/2019 07:03

As selecções dos treinadores portugueses, Irão e Coreia do_Sul, somaram seis pontos em dois jogos e já estão nos oitavos-de-final.

“Easy like a sunday morning”, cantariam os Commodores. Fácil como um domingo de manhã o apuramento do Irão de Carlos Queiroz e da Coreia do_Sul de Paulo Bento para os oitavos-de-final da Taça da Ásia que se disputa nos Emirados Árabes Unidos. Tão fácil mesmo, que ambos os portugueses até puderam descansar precisamente no domingo de manhã já que tinham cumprido a sua obrigação na véspera.

Inserido no Grupo D, com Iraque, Vietname e Iémen, o Irão começou por golear o Iémen por 5-0 num jogo de grande significado político, já que o Iémen tem sido, ao longo dos últimos anos, um daqueles pontos sensíveis entre a diplomacia iraniana e saudita que, por seu lado, arrastou os Estados Unidos para o lado árabe e provocando os bem conhecidos bloqueios económicos. Com um pé na porta de saída (irá, segundo tudo se confirmar, tomar conta da seleção da Colômbia), Queiroz quererá mais do que nunca abandonar o cargo com uma conquista importante. Na segunda jornada, nova vitória, 2-0 ao Vietname. Curiosamente, também o Iraque venceu os dois primeiros encontros, garantindo o apuramento. O que quer dizer que o derradeiro confronto, também ele com fortíssima carga emocional, entre Irão e Iraque poderá servir para uma agradável jornada de confraternização.

Paulo Bento resolveu as coisas mais ao seu estilo de poucos alardes. No Grupo C, com China, Filipinas e Quirguistão, a Coreia do Sul bateu estes dois últimos adversários por 1-0. Também a China, agora orientada pelo antigo campeão do mundo pela Itália, Marcelo Lippi, tratou de se pôr a salvo com vitórias sobre os mesmos opositores: 2-1 ao Quirguistão e 3-0 às Filipinas, o que deixa o jogo escaldante do grupo na função desinteressante de só servir para cumprir calendário.

Das Filipinas não se esperava grande coisa, tal a fragilidade da equipa, e nem Sven-Göran Eriksson, chamado para o cargo de seleccionador, foi capaz de operar milagres.

O outro grande dominador até ao momento foi a Arábia Saudita. As vitórias sobre a Coreia do Norte (4-0) e sobre o Líbano (2-0) também já colocaram os sauditas nos oitavos-de-final que começarão a rodar no próximo domingo, dia 20 de Janeiro.

Pela primeira vez com 24 finalistas, a Taça da Ásia ainda não trouxe grandes surpresas ou desilusões. Talvez, quando muito, a derrota inaugural dos australianos, campeões em título, frente à Jordânia, por 0-1, obrigando os “aussies” a esforços suplementares se quiserem continuar a defender o troféu que está na sua posse. A verdade é que os favoritos estão a cumprir as suas obrigações, até mesmo a seleção da casa, os Emirados Árabes Unidos, que empataram no jogo de abertura com os seus vizinhos do pequenino Bahrain (1-1).
A vitória sobre a Índia (2-0) no segundo encontro, devolveu-lhes o otimismo. Tudo ainda é possível.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×