19/10/19
 
 
Nova morada do Mercado do Benfica no Irão também foi encerrada

Nova morada do Mercado do Benfica no Irão também foi encerrada

Polémico blogue divulgou nos últimos dias documentos referentes à Operação Marquês e ao caso EDP, conseguidos no âmbito de um ataque informático à PLMJ

O blogue que divulgou emails do Benfica já tinha sido encerrado, quando estava alojado na plataforma Wordpress, tendo sido reaberto na blogsky.com, sediada no Irão.

No entanto, os conteúdos publicados nos últimos dias, referentes a vários casos polémicos como a Operação Marquês, os Vistos Gold e o caso BPN, que terão sido conseguidos após um ataque informático à sociedade de advogados PLMJ, já não podem ser consultados.

Em mercadodebenfica.blogsky.com, onde estava alojado o Blogue do Benfica, pode agora ler-se: “Esta página foi encerrada por violar os nossos termos e condições”.

O polémico blogue logo nas primeira horas da sua nova morada no Irão divulgou um conjunto de informações confidenciais conseguidas no âmbito de um ataque ao escritório de advogados PLMJ, que, entretanto, já confirmou ter sido vítima de acesso ilegítimo. Mas depois destas fugas, e ainda antes do encerramento na Blogsky, estavam já a ser preparadas outras, que tinham o Benfica como parte. É que este escritório da PLMJ é um dos que defende os encarnados nos grandes processos em que o clube está envolvido – através da equipa do advogado João Medeiros.

Ao que o i apurou os escritórios Morais Leitão Galvão Teles, Soares da Silva & Associados e Saragoça da Matta & Silveiro de Barros - Sociedade de Advogados – que também estão a defender a Benfica SAD através dos advogados Rui Patrício e Paulo Saragoça da Matta – não registaram até ao momento qualquer ataque. Fonte oficial da Morais Leitão explicou mesmo que, “em relação à alegada informação ilegalmente tornada pública, não tem qualquer evidência de entrada no sistema”.

Antes do encerramento, o blogue já tinha prometido a divulgação do “primeiro arquivo de Miguel Moreira, CFO do SL Benfica”. Em jeito de provocação os autores do blogue garantiam que o ficheiro terá cerca de 12 gigas.

O i tentou, segunda-feira, esclarecer junto da Wordpress se o encerramento do primeiro blogue foi a pedido das autoridades nacionais, não tendo sido dada qualquer resposta até à hora de fecho desta edição. Também a Procuradoria-Geral da República, contactada, não nos fez chegar qualquer esclarecimento sobre este caso.

Investigação atenta ao blogue

O Mercado de Benfica divulgou durante vários meses a informação sigilosa do Benfica. Apesar de, aparentemente, nada ter sido feito para travar, a verdade é que nos bastidores o Ministério Público e a Polícia Judiciária estiveram sempre atentos. Uma fonte próxima da investigação explicava ontem ao i que nestes casos “é preciso considerar que a internet é um espaço de liberdade, que não tem fronteiras”.

A mesma fonte lembrava ainda que “o facto de hoje se aceder a determinada informação que está alocada num determinado local nada impede que, bloqueado esse acesso, amanhã não esteja num outro sítio”. E foi isso que terá acontecido, primeiro com a Wordpress e agora com a Blogsky.

“Tudo o que tem que ver com as investigações nesses casos tem esses entraves que são específicos e que são relacionados com a própria tecnologia”, acrescentou.

 

A Guerra do Benfica para chegar aos hackers

A batalha para encontrar os autores dos blogues e fazê-los chegar às barras dos tribunais tem sido intensa para o Benfica. O caso tomou dimensões internacionais quando, em outubro do ano passado, jornal norte-americano “New York Times” revelou que o Benfica tinha recorrido à Google para tentar resolver este problema, pedindo os dados pessoais dos bloggers que tinham divulgado ilegalmente correspondência de vários dirigentes da Luz.

“O Benfica foi vítima de um roubo e posterior divulgação da sua correspondência privada, primeiro por um canal televisivo ligado a um dos seus rivais, o FC Porto, e, depois, no seguimento de uma decisão do tribunal que proibiu essa divulgação, esses emails, muitos deles distorcidos, começaram a ser publicados por blogues ligados aos clubes rivais”, lê-se no pedido feito pelos encarnados na altura.

Na mesma altura, o “New York Times” revelou que a Google tinha concordado em ceder informações sobre os autores dos blogues, após os encarnados terem avançado com um processo no tribunal da Califórnia, no início do ano. O jornal explicou que a gigante tecnológica “notificou os utilizadores em questão, dando-lhes uma oportunidade para responder ao processo legal a decorrer na justiça dos Estados Unidos”.

O semanário “Sol” noticiou em novembro do ano passado que o Benfica estaria muito perto de avançar com uma queixa contra “certos” com base nas informações dadas pela Google, o jornal revelou que em causa estariam “pessoas ligadas ao Sporting e ao FC Porto e que alguns deles foram colegas de escola e amigos de Rui Pinto”, o hacker português de 29 anos suspeito de estar ligado ao Footbal Leaks e ao roubo da correspondência do Benfica, o que deu origem ao caso dos e-mails.

 

Documentos da Operação Marquês revelados

O novo blogue Mercado de Benfica encerrado agora, e cuja última entrada tinha sido feita no domingo, disponibilizou diversos volumes do processo que tem José Sócrates como peça principal. Nos documentos retirados da PLMJ constam informações relativas a Manuel Pinho, António Mexia, Ricardo Salgado, Henrique Granadeiro e ainda à Parvalorem.

Ao “Jornal Económico”, a PLMJ confirmou na segunda feira o ataque: “Na sequência de sucessivas tentativas de intrusão ilícitas, a segurança de rede de PLMJ foi recentemente comprometida. A PLMJ está a avaliar o impacto potencial desse acesso ilegítimo a informação, tendo definido de imediato, em conjunto com uma equipa de especialistas, medidas preliminares de proteção e contenção”.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×