24/8/19
 
 
Liga. CR7 fecha o ano no trono. Lobos de Espírito Santo voltam a atacar

Liga. CR7 fecha o ano no trono. Lobos de Espírito Santo voltam a atacar

AFP Laura Ramires 31/12/2018 12:23

Cristiano Ronaldo deu a vitória à Juventus e passou a liderar os melhores marcadores da Serie A. Em Inglaterra, o Tottenham acabou surpreendido pelo Wolves e deixou o Liverpool mais líder

Cristiano Ronaldo não podia ter terminado o ano de 2018 da melhor maneira. Depois de na ronda pré-natalícia já ter sido o responsável por manter a invencibilidade da Juventus, - assinou o golo do empate diante do Atalanta -, este fim de semana, o craque português voltou a ser o protagonista da sua equipa. O emblema de Turim venceu (2-1) a Sampdoria com um bis do capitão das Quinas e após 19 jornadas já soma uns impressionantes 53 pontos na Serie A.

Este foi, de resto, a terceira vez que o avançado bisou desde que chegou Itália depois dos dois golos que apontou diante do Sassuolo (na jornada quatro da Liga italiana), encontro marcado, aliás, pela sua estreia goleadora com a camisola da Juve. Mais tarde, na ronda 10, voltou a assinar dois golos ante o Empoli.

Com 14 golos na prova italiana, CR7 saltou para a liderança da lista de melhores marcadores deste campeonato, com mais um golo que o atacante do Génova, o polaco Krzysztof Piatek, que chegou a esta ronda com 13 golos e ficou em branco nesta jornada, após empate sem golos da sua equipa na partida com a Fiorentina.

Para se ter uma ideia, olhando para a época transata, a Juventus, por esta altura (com as mesmas 19 jornadas cumpridas), somava 47 pontos e já registava duas derrotas.

Agora, para além de somar mais seis pontos, é a única equipa nesta prova que ainda não foi derrotada. A tabela mostra isso mesmo: no topo, com os 53 pontos já referidos, a Juventus sabe que passará para o novo ano com o descanso de  não ter ninguém a fazer-lhe sombra. Ora, no segundo posto, já a nove (!!!) pontos dos comandados de Allegri, pode ser encontrado o Nápoles, do internacional português Mário Rui. E, já a fechar o pódio, com 39 pontos, ou seja, a 14 de Cristiano Ronaldo e companhia, está o Inter, de João Mário.

Assim, a luta protagonizada entre Juventus e Nápoles em 2017/18 (ano em que a primeira chegou ao heptacampeonato com 95 pontos, mais quatro que o conjunto napolitano) parece ser, esta época, cada vez mais uma miragem.

 O certo é que velha senhora segue no seu percurso cada vez mais ligeira - e muito também devido à chegada da veia goleadora de Cristiano Ronaldo

Wolves: o tomba-gigantes Olhando para o cartaz, o jogo grande da ronda 20 da Liga inglesa era o Liverpool-Arsenal. Porém, em Anfield, depressa morreu a possibilidade de os gunners se tornarem nos primeiros a travar o líder, os reds, que continuam, desta forma, sem sofrerem qualquer desaire nesta prova. O Arsenal até entrou a prometer, com um golo aos 11 minutos, de Maitland-Niles. Mas os comandados de Jürgen Klopp não demoraram a dar a reviravolta: Firmino restabeleceu a igualdade aos 14’ e marcou de novo aos 16’. O brasileiro chegou mesmo ao hat trick, ao fixar o resultado final (5-1) com um golo de grande penalidade aos 65’. Pelo meio foi Sadio Mané (32’) e Salah (47’), ainda na primeira metade do encontro, a ampliar a vantagem para o Liverpool - o egípcio também desde a marca do castigo máximo.

Todavia, refira-se, a vitória do Liverpool aconteceu já depois da grande surpresa da ronda. O Tottenham foi surpreendido em casa pelo Wolverhampton de Nuno Espírito Santo, que foi até Wembley impor uma derrota ao então segundo classificado da Premier League.

Os spurs adiantaram-se no marcador por Harry Kane (22’), mas uma segunda parte de gala permitiu a reviravolta e o triunfo dos lobos por 3-1. Boly, aos 72’, fez o golo do empate e, já nos derradeiros dez minutos, os ex-Benfica Raul Jiménez (83’) e Hélder Costa (87’) selaram o triunfo da equipa que veio este ano do Championship (2.ª divisão inglesa).

Antes de travar o conjunto de Mauricio Pochettino, de notar que a equipa mais portuguesa da Premier League já tinha vencido o Chelsea (2-1), na jornada 15; empatado com o Arsenal (1-1), na ronda 11; o mesmo resultado que já havia registado com o Manchester United (1-1), na sexta jornada, e com o Manchester City (1-1), na terceira ronda.

A equipa de Nuno Espírito Santo tem uma verdadeira aptidão para os grandes jogos, nem se notando o facto de ter chegado esta época à principal liga do futebol português. Está atualmente instalada no sétimo posto do campeonato, atrás do Manchester United, que, ontem, voltou a golear (4-1), desta feita o Bournemouth.

Quem aproveitou o deslize dos spurs foi o Manchester City que venceu este domingo (3-1) no reduto do Southampton e regressou ao segundo posto da competição. Com 47 pontos, os citizens estão neste momento a sete pontos do líder Liverpool (54) e têm mais dois que o Tottenham, que caiu para o terceiro lugar.

Prevê-se, por isso, um clássico escaldante na próxima jornada da Liga inglesa, com os comandados de Pep Guardiola a receberem já no próximo dia 3 de janeiro o Liverpool.

Uma derrota de Bernardo Silva e companhia no Etihad Stadium deixaria os atuais campeões em título a 10 pontos dos reds, o que tornaria as caminhada para o título dos comandados de Klopp bem mais facilitada. Ainda que o treinador alemão continue a deitar água na fervura do entusiasmo, num clube que não é campeão desde 1990.
 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×