7/4/20
 
 
May diz que não se vai recandidatar nas eleições de 2022

May diz que não se vai recandidatar nas eleições de 2022

AFP Jornal i 12/12/2018 17:56

A primeira-ministra fez o anúncio numa reunião do grupo parlamentar conservador antes da abertura das urnas para se votar a moção de confiança sobre a sua liderança

A primeira-ministra britânica e líder do Partido Conservador, Theresa May, anunciou que não se irá recandidatar nas eleições legislativas de 2022. O anúncio foi feito durante uma reunião do grupo parlamentar conservador antes de as urnas para a votação da moção de confiança à liderança de May abrirem. 

May referiu-se exclusivamente às eleições de 2022, deixando em aberto, muito implicitamente, que caso haja eleições legislativas antecipadas ainda se venha a recandidatar. Os deputados conservadores ficaram confusos, com uns a perceberem que a primeira-ministra se estava a referir às próximas eleições e outros apenas às de 2022. 

O "Guardian" já tinha avançado que a líder britânica poderia recusar candidatar-se nas próximas eleições em troca de apoio dos deputados conservadores para derrotar a moção de confiança. "Ela não acredita que a votação de hoje seja sobre quem liderará o Partido Conservador nas próximas eleições, mas sobre se é sensato mudar de líder neste momento do Brexit", disse uma fonte de Downing Street do "Guardian". 

A verdade é que não têm sido poucos os deputados conservadores a declararem o apoio à liderança da primeira-ministra, com pelo menos 150 a já o terem feito nas redes sociais. May precisa de 158 votos para se manter na liderança e derrotar a ala rebelde. 

Na última semana, várias figuras conservadores mostraram disponibilidade em disputar a liderança conservadora, entre os quais Boris Johnson, Dominic Raab e Esther McVey. 

Ainda que May consiga ganhar a moção de confiança, terá ainda de conseguir aprovar o acordo na Câmara dos Comuns e, porventura, manter o apoio do parceiro de coligação que sustenta o seu executivo, o Partido Unionista Democrático, que é contra as atuais cláusulas de garantia para a fronteira entre as duas Irlandas, se uma moção de censura que aglomere todos os partidos da oposição for apresentada no órgão legislativo. 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×