15/11/18
 
 
Liga Europa. Gunners de pólvora seca deixam leão mais folgadinho

Liga Europa. Gunners de pólvora seca deixam leão mais folgadinho

AFP Bruno Venâncio 08/11/2018 22:17

O Arsenal bem porfiou, mas o esforço esbarrou na noite desinspirada do seu ataque, permitindo ao Sporting trazer um saboroso 0-0 de Londres.Ao mesmo tempo, chegavam boas notícias da Ucrânia, com o favorito Vorskla Poltava a perder (0-1) com o aparentemente mais modesto Qarabag.No Azerbaijão, os leões poderão selar o apuramento para os oitavos-de-final

Muita parra... e nenhuma uva. O Sporting escapou incólume da intensa pressão a que foi submetido em Londres e o 0-0 arrancado na capital britânica, aliado à surpresa na Ucrânia (o Qarabag foi vencer o Vorskla Poltava por 1-0), deixa os leões a uma vitória de selar o apuramento para os oitavos-de-final da Liga Europa. A festa pode surgir, portanto, no frio Azerbaijão, daqui a duas semanas.

Os gunners, é preciso dizê-lo, apresentam-se nesta receção aos leões com nove mudanças no onze em relação à equipa que empatou com o Liverpool no último fim de semana. Do lado português, Miguel Luís foi a grande novidade reservada pelo interino Tiago Fernandes para a sua estreia europeia: o menino de 19 anos conseguiu a sua primeira titularidade de leão ao peito, completando um meio-campo formado também por Gudelj e Bruno Fernandes, com Nani e Diaby no apoio a Montero. De fora, tendo em conta o onze que entrou em campo nos Açores, frente ao Santa Clara, ficaram Lumor (não inscrito na prova), o lesionado Battaglia e Bas Dost, que começou no banco.

A partida, especialmente na primeira parte, foi de sentido único. A pressão alta imposta pelos comandados de Unai Emery foi provocando imensos calafrios à defensiva dos leões, que ia aguentando como podia. Guendouzi, francês de 19 anos que se tem vindo a evidenciar esta época no meio-campo do Arsenal, era o grande motor do conjunto inglês, secundado (mal) por Mkhitaryan, que esteve muitos furos abaixo do habitual. Nas alas, Smith Rowe mas principalmente Iwobi faziam a cabeça em água a Acuña e Bruno Gaspar, mas quase sempre sem assertividade na hora da decisão.

O primeiro lance de verdadeiro perigo junto a qualquer uma das balizas aconteceu aos 17 minutos, com Mathieu a desviar para a sua baliza um cruzamento de Guendouzi. Valeu Coates, a salvar em cima da linha. Seguiram-se dois cabeceamentos de Welbeck, ambos transviados, com o segundo a custar bem caro ao internacional inglês: após o voo para ganhar a bola, o avançado chocou com Coates no normal movimento da queda e torceu o tornozelo direito, ficando em sérias dificuldades - chegou mesmo a precisar de respiração assistida. Seria, obviamente, substituído por Aubameyang, saindo de maca com a perna direita imobilizada - perspetiva-se nova paragem prolongada para um jogador que tem tanto de talentoso como de propenso a lesões graves.

Nem com aubameyang Até ao intervalo, nada de muito palpitante aconteceu: o Arsenal continuou a carregar, mas faltava sempre inspiração no momento de se acercar da baliza à guarda de Renan. A emoção voltou no recomeço, com Aubameyang a cabecear muito perto do poste logo no primeiro lance do segundo tempo. Pouco depois, o primeiro lance de algum perigo para a baliza desta feita à guarda de Petr Cech: Diaby atirou de primeira à meia volta, mas acertou no lateral esquerdo Jenkinson.

Aos 59’, outra vez Aubameyang, agora a atirar à malha lateral. Dez minutos depois, e já após Acuña ter visto o cartão que o tira da viagem ao Azerbaijão, Montero deu lugar a Bas Dost - o holandês, tal como o colombiano, mal se iria ver na partida, dada a ausência de volume ofensivo dos leões.

Já nos últimos dez minutos, uma dança de Iwobi frente a Bruno Gaspar acabou com um cruzamento venenoso que Mkhitaryan não conseguiu transformar em golo. Logo a seguir, corte fulcral de Coates - grande jogo do uruguaio, que nos últimos tempos tem estado longe da sua real valia - a impedir que Aubameyang abrisse o marcador. Já perto dos 90, um atraso incompreensível de Bruno Fernandes isolou o gabonês frente a Renan, não deixando outra alternativa a Mathieu que não o derrube, punido naturalmente com o cartão vermelho direto. Na transformação do livre, Aubameyang atirou por cima... e não aconteceria mais nada de relevante até ao fim.

Contas feitas, ambas as equipas saíram a sorrir: o Arsenal garantiu desde já o apuramento para os oitavos-de-final e o Sporting, como já se referiu acima, tem tudo para o conseguir também no próximo jogo. Que será já com Marcel Keizer ao leme: ontem, o Al Jazira já oficializou a saída do técnico e a sua viagem para Lisboa, pelo que se espera agora apenas o anúncio por parte do Sporting - que até pode acontecer já hoje. Refira-se ainda que este foi o primeiro jogo na Europa sem sofrer golos do Sporting, na condição de forasteiro, desde... 2011, já lá iam 30 partidas. A nível absoluto, os leões viviam também uma série de 26 jogos sempre a sofrer golos fora de casa, acabando ontem com uma série que já durava há mais de um ano. Tiago Fernandes tem razões para estar orgulhoso.
 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×