24/9/20
 
 
Administração de Serralves diz que zona com acesso restrito sempre fez parte da proposta da exposição

Administração de Serralves diz que zona com acesso restrito sempre fez parte da proposta da exposição

Jornal i 22/09/2018 17:01

Além disso, a administração da Fundação de Serralves diz que “não retirou nenhuma obra da exposição” ‘Robert Mapplethorpe: Pictures’.

Num comunicado enviado este sábado às redações, a Administração da Fundação de Serralves diz que “não retirou nenhuma obra da exposição” ‘Robert Mapplethorpe: Pictures’, adiantando que "a proposta da exposição foi apresentar as obras de cariz sexual explícito numa zona com acesso restrito".

"A exposição ‘Robert Mapplethorpe: Pictures’ é composta por 159 obras do autor, todas elas escolhidas pelo curador desta apresentação. A Administração de Serralves não retirou nenhuma obra da exposição. Desde o início, a proposta da exposição foi apresentar as obras de cariz sexual explícito numa zona com acesso restrito", pode ler-se no comunicado.

"Dado o teor de várias das obras expostas e sendo Serralves uma instituição visitada anualmente por quase um milhão de pessoas de todas as origens, idades e nacionalidades, incluindo milhares de crianças e centenas de escolas, a Fundação considerou que o público visitante deveria ser alertado para esse efeito, de acordo com a legislação em vigor", acrescenta a mesma nota assinada pelo Conselho de Administração da Fundação de Serralves.

Recorde-se que o curador da mostra, João Ribas, apresentou na sexta-feira à noite a demissão, abandonando o cargo de Diretor do Museu de Arte Contemporânea de Serralves.

A interdição a algumas obras da exposição que contêm imagens de natureza explicitamente sexual desencadearam várias reações polémicas. 

João Fernandes, antigo diretor do Museu de Serralves acusou mesmo a administração de "puritanismo". "Uma obra de arte não pode ser restringida no seu acesso para além da decisão individual de quem visita um museu ou de quem visita uma exposição. Se um museu interdita o acesso a uma obra de arte esse é um paradoxo com o facto de a apresentar", disse à TSF o atual subdiretor do Museu Rainha Sofia em Madrid. 

Também o fotógrafo Daniel Blaufuks se mostrou indignado com a decisão. De tal forma que Blaufuks decidiu inclusivamente cancelar a visita guiada que iria fazer pela exposição Mapplethorpe. "Por considerar absolutamente inaceitável as noticiadas restrições na exposição de Robert Mapplethorpe, venho por este meio cancelar a visita guiada", escreveu o fotógrafo nas redes sociais. 

A ‘Robert Mapplethorpe: Pictures’ está exposta desde a passada quinta-feira (20 de setembro) na Fundação de Serralves, no Porto, e pode ser visitada até dia 6 de janeiro de 2019.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×