18/7/19
 
 
Mais de 16 mil elefantes foram mortos em sete anos na maior reserva moçambicana

Mais de 16 mil elefantes foram mortos em sete anos na maior reserva moçambicana

DR Jornal i 19/09/2018 16:48

A falta de vigilância por parte das autoridades é apontada como uma das grandes falhas

Em sete anos, a reserva do Niassa em Moçambique – a maior do país – perdeu mais de 16 mil elefantes por abate ilegal. Os dados oficiais foram divulgados pelo diário moçambicano O País, esta quarta-feira.

"De acordo com dados locais do mapeamento, em 2009 existiam 20.118 elefantes na reserva, mas em 2016 restavam apenas 3.675", pode ler-se no jornal. Isto significa que foram abatidos de forma ilegal 16.443 elefantes.

A falta de vigilância por parte das autoridades é apontada como uma das grandes falhas, no que toca à detenção de caçadores furtivos.

De acordo com o diretor de Proteção e Fiscalização da ANAC, Carlos Lopes – em declarações à agência Lusa em março deste ano – o crescimento de abates ilegais ameaça a reprodução da espécie. "Continuamos a perder elefantes a um ritmo que, se não for radicalmente alterado, vai conduzir à extinção ou, pelo menos, à inviabilidade das populações desta espécie", afirmou.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×