12/11/18
 
 
Absurdo até para a época

Absurdo até para a época

AFP António Rodrigues 10/09/2018 17:41

Aqui se fala de um homem que não conseguiu melhor maneira de propor casamento do que chamar a polícia

Ela hesitou. Não disse logo que sim. A situação era tão absurda que a deixou um pouco sem palavras. Como em todas essas situações em que nos sentimos embaraçados pelo resultado, mas reconhecemos que houve esforço, empenho e uma procura de originalidade que nos força a sorrir e a lançar o quanto adoramos, que não valia a pena tanto trabalho, ela também se mostrou contente e disse que sim.

Tudo aconteceu em Miami Beach este fim de semana, e foi a polícia de Miami a colocar o vídeo da “ocorrência” online. A mulher assustou-se a um dado momento, quando o polícia a mandou parar e lhe solicitou os documentos. Mais ainda quando lhe pediu que saísse do carro e viesse até à parte de trás do veículo. Foi aí que o sargento Motola se dirigiu ao namorado e perguntou: “Tem alguma coisa a dizer?”

Kenneth - um negro nos Estados Unidos que achou que a melhor maneira de convencer a namorada a casar com ele era envolver a polícia - pôs um joelho no chão, esticou a mão com o anel e lançou a frase: ”Eu só quero que cases comigo.”

Ela, mãos na cara, a dizer “ó meu Deus, maluquice”, sem sabermos muito bem se em relação à pergunta ou ao alarido policial que a deixou de coração aos pulos, e não pelas melhores razões, vai dizendo coisas sobre a situação, respira fundo, sente-se mais ou menos encurralada, sabe que está a ser filmada pela polícia, e mesmo assim tarda, até finalmente soltar um sim que não é muito convincente. Ele levanta-se, coloca-lhe o anel no dedo, e sem lhe dar um beijo, sem a envolver nos braços, corre a abraçar o sargento, num gesto sentido de “bro-gratitude”, mas que serve para aumentar a estranheza da situação.

De acordo com o porta-voz da polícia de Miami. Kenneth passou pela esquadra para solicitar à polícia que lhe desse uma mãozinha para convencer a mulher da sua vida a casar. E os agentes, entusiasmados, concordaram logo.

Mesmo assim, por mais estranha que seja, esta proposta de casamento não bate a daquele namorado que achou que a melhor maneira de levar a namorada a aceitar era simular a sua própria morte num acidente de carro à frente dela (incluindo a ressurreição) ou a daquele geek que resolveu traduzir em código binário “Rachel, és fantástica. Queres casar comigo?”, filmou-se a recitar a frase e a pergunta com uma cabeça de Bender da série “Futurama” e deixou a coitada da Rachel à nora durante meia hora só para poder interpretar o que raio seria aquele comboio de zeros e uns que monotonamente o aparente “homem da sua vida” lhe recitava.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×