23/9/18
 
 
“Onde há bebés há uma mamã”. União Zoófila critica falta de políticas de esterilização

“Onde há bebés há uma mamã”. União Zoófila critica falta de políticas de esterilização

Facebook Jornal i 25/08/2018 12:47

A União Zoófila defende que sem políticas de esterilização e castração “não vamos a lado nenhum”

A história começou com sete cachorros que foram encontrados dentro de uma caixa de cartão deixada ao pé dos caixotes do lixo, na zona de Chelas. Os animais que estavam cheios de fome, sede e pulgas foram acolhidos e tratados pela União Zoófila.

“Tudo indicava que tinham nascido na rua e que alguém não os quis lá e juntou ao lixo”, pode ler-se numa publicação partilhada no Facebook. Sem saber onde estava a mãe – “se ainda não deram cabo dela. Se ainda não a enforcaram. Ou mataram à pedrada” – os voluntários da associação começara numa busca acabando por encontrar e acolher a cadela, “ela também do lixo, ela também magra, com falhas de pelo, ela também carregada de pulgas, com os dentes partidos”.

Ao juntar as crias e a progenitora, o que ficou foi um misto de alegria e tristeza: “Os bebés fizeram-nos rir e olhar da mãe, sugada pelos sete, chorar”. A cadela estava demasiado magra e fraca para alimentar as sete crias.

“Fizemos o que tínhamos de fazer. Mas sabemos que ela não devia ter parido. Devia ter sido esterilizada. Devia ter sido encaminhada para adoção. Seria uma. Agora são oito – ela e os sete bebés – que precisam de família”, escreve a União Zoófila. “Com a maioria das autarquias sem políticas e práticas sérias de esterilização e castração dos animais de rua e dos munícipes carenciados, não vamos lado nenhum”, reforçam.

Esta família ficou salva depois da intervenção feita pela União Zoófila, mas no ar fica uma questão: “e os outros?”.

A 23 de setembro entra em vigor o fim do abate de animais nos canis municipais.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×