19/9/18
 
 
Espanha. Tantas 'ganas' só podiam dar em história a triplicar (com vídeo)

Espanha. Tantas 'ganas' só podiam dar em história a triplicar (com vídeo)

Facebook André Silva Bruno Venâncio 20/08/2018 18:27

André Silva estreou-se na liga espanhola com um hat-trick, algo que ninguém fazia desde Romário no Barcelona em 1993/94. O terceiro golo do avançado luso nos 4-1 do Sevilha ao Rayo Vallecano ficará ainda gravado como o primeiro de sempre em Espanha a ser validado após recurso ao VAR

Há dez dias, André Silva estava a ser anunciado como reforço do Sevilha, que reservou o direito a opção de compra do passe do avançado ao AC Milan no final da temporada no valor de 38 milhões de euros, precisamente o mesmo que os rossoneri pagaram ao FC Porto há um ano. Quatro dias depois – e já após ter alinhado meia-hora na Supertaça de Espanha, frente ao Barcelona (1-2) –, o internacional português apresentava-se assim aos adeptos do clube andaluz: “Estou cheio de ‘ganas’ de começar a jogar na La Liga!”.

Pois bem: se há jogos e momentos que ficam para memória futura, a estreia de André Silva na liga espanhola ficará para sempre na história do futebol de nuestros hermanos. Escolhido pelo técnico Pablo Machín para o primeiro onze do Sevilha nesta edição 2018/19 do campeonato espanhol, o jovem internacional português apontou três golos no triunfo andaluz em casa do recém-promovido Rayo Vallecano (1-4), tornando-se o primeiro jogador a conseguir um hat-trick na primeira ronda de La Liga desde Romário em 93/94, quando apontou os três golos do triunfo do Barcelona sobre a Real Sociedad – o Baixinho acabaria a época campeão e com 30 golos em 31 jogos na prova.

André Silva não almeja certamente ao título nacional, dados os maiores argumentos dos colossos Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madrid, mas já ninguém lhe tira o estatuto de autor do primeiro hat-trick na primeira ronda do campeonato espanhol no século XXI e de ser apenas o segundo jogador a fazê-lo na estreia na competição, precisamente a seguir a Romário. Cingindo a amostra apenas ao Sevilha, nenhum jogador o conseguia desde Martín Pérez, em 1984. Palencia (1935) e Arza (1943) foram os outros jogadores a conseguir tal feito pelo conjunto da Andaluzia.

 

 

Uma entrada de sonho, que permite desde já ao avançado português ostentar um pecúlio goleador superior ao que conseguiu em... toda a temporada 2017/18 na Serie A italiana. No ano de estreia em Itália, ao serviço do AC Milan, André Silva marcou apenas dois golos em 24 jogos no campeonato, tendo sido titular em apenas sete deles. Apontou mais seis em oito partidas na Liga Europa, terminando a temporada com dez golos em 40 jogos (18 como titular).

 

Vídeo-árbitro também se estreou O primeiro golo do encontro até pertenceu ao espanhol Franco Vázquez, logo aos 15 minutos num extraordinário toque de calcanhar, mas a partir daí só deu André Silva. Aos 31’, e já depois de ter desperdiçado uma excelente ocasiões, o avançado luso de 22 anos recebeu com o pé direito no centro da área e, com o esquerdo, bateu García pela primeira vez. Nos descontos da primeira parte, aproveitando um ressalto após um canto, finalizou de forma semi-acrobática, materializando ainda mais o claríssimo ascendente do Sevilha no terreno do conjunto dos arredores de Madrid.

Mas havia mais história para ser feita. Aos 79’, André Silva surgiu isolado na cara do guardião contrário, juntamente com outro colega, e tocou tranquilamente para o terceiro golo no jogo. Perante os protestos dos jogadores do Rayo Vallecano, o árbitro Mateu Lahoz resolveu consultar o vídeo-árbitro – um sistema adotado pela primeira vez esta época na liga espanhola. Após ouvir a opinião do VAR, o juiz do encontro validou o tento (e bem, pois o avançado português estava a ser posto em jogo por Advíncula, lateral-direito peruano que passou pelo Vitória de Setúbal em 2014/15), permitindo assim a André Silva o tão desejado festejo do hat-trick, naquele que foi o primeiro golo de sempre do futebol espanhol validado com recurso ao VAR – mais um ‘item’ para juntar à estreia de sonho do menino nascido em Baguim do Monte.

 

 

“Foi a estreia com que sempre sonhei, embora não me passasse pela cabeça que fosse acontecer assim, e sinto um orgulho enorme. Fiz o que me pediu o treinador, que é trabalhar para ter oportunidades como a que tive hoje; se o fizer, as coisas boas acabam por acontecer”, realçou André Silva no final do encontro no Estádio Vallecas, deixando depois uma mensagem de agradecimento nas redes sociais do Sevilha: “Dedico estes golos aos adeptos sevilhanos e a todos aqueles que acreditaram em mim. Obrigado a todos.” Pablo Machín, técnico dos andaluzes, foi mais longe, admitindo que o “sistema de jogo da equipa está feito para jogadores como André Silva”. “Deu tudo de si e dessa forma tudo é mais fácil para que as coisas saiam como saíram esta noite”, salientou o treinador espanhol de 43 anos.

 

 

Para já, André Silva é o máximo goleador da liga espanhola, embora perseguido de muito perto por Álex Gallar (Huesca), José Luis Morales (Levante) e Lionel Messi (Barcelona), todos com dois golos na abertura da prova. O argentino do Barça, de resto, foi o artilheiro da prova na passada temporada, com 34 golos – mais oito que Cristiano Ronaldo –, e é este ano o mais destacado favorito a repetir o feito, especialmente após a saída do CR7 para Itália. Ou era, porque se André Silva continuar a ir com esta sede ao pote...

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×