20/9/18
 
 
Afinal, quantos ovos podemos comer por dia?

Afinal, quantos ovos podemos comer por dia?

Dreamstime Joana Marques Alves 20/08/2018 14:09

Depende tudo da nossa dieta

Os ovos são dos alimentos mais versáteis: podem ser usados para fazer omeletes, bolos, panquecas... Mas muitos preferem-nos simples, mexidos ou escalfados, estrelados ou cozidos. Mas sabe quantos ovos pode comer por dia?

Antigamente, era incutido que o ideal era comer apenas dois ovos por semana. Aparentemente, estes dados estão desatualizados – bastou trocar uma palavra neste conselho para fazer toda a diferença: “Uma pessoa com condições de saúde normais pode comer dois ovos por dia sem qualquer problema”, disse a nutricionista Keri Gans, autora do livro The Small Change Diet, ao site Women’s Helath.

Mas é preciso ter outros aspetos em conta: “É preciso olhar para a dieta como um todo e perceber de onde vêm as gorduras saturadas. É saudável comer dois ovos por dia, mas se gosta deles mexidos com queijo por cima, acabou de aumentar em muito a quantidade de calorias e gorduras saturadas ingeridas”, explica a especialista.

Para Grans, o número ideal de ovos por dia difere consoante o resto da dieta: um ovo grande tem cerca de 80 calorias, cinco gramas de gordura e seis de proteína. Por isso, se já ingere muita gordura e proteína ao longo do dia, comer uma omelete ao pequeno-almoço não é boa ideia... Mas se sabe que não irá ingerir muitas destas substâncias, não há qualquer problema em comer dois ovos num dia. É tudo uma questão de equilíbrio.

De acordo com a página do Observatório Agrícola, “a produção anual de ovos é superior a 1,5 milhões de ovos e o consumo per capita em Portugal é de 175 ovos por ano”.

E o colesterol? Sempre se associou o ovo a altos níveis deste componente – um ovo grande tem 186 mg de colesterol. Ora, a American Heart Association aconselhava um consumo máximo de 300 mg por dia – valores acima destes poderiam provocar problemas como entupimento das artérias ou ataques cardíacos. No entanto, esta recomendação foi retirada em 2015, não tendo sido imposto qualquer limite - novos estudos dizem que as gorduras saturadas (essas sim) têm um maior impacto na saúde cardiovascular.

Segundo dados do Relatório da Saúde 2018, realizado pelo Serviço Nacional de Saúde, “Em 2015, as doenças cérebro-cardiovasculares foram responsáveis por 29,7% das mortes ocorridas em Portugal. Só em 2014, o acidente vascular cerebral isquémico representou cerca de 20 mil episódios de internamento. Apesar de continuarem a ser a principal causa de morte, situaram-se abaixo dos 30%, pela primeira vez”.

“A hipertensão arterial é um dos fatores de risco cardiovascular, que afeta 36% dos portugueses entre os 25 e os 74 anos”, revela o mesmo documento.

E a questão das claras? São mais saudáveis que a gema? “Alguns nutrientes só existem na gema, explica a nutricionista Beth Warren ao mesmo site. “As vítimas solúveis encontram-se nas gemas. Por isso, se não ingerirmos esta parte do ovo, estamos a remover a gordura, sim, mas estamos também a remover muito do valor nutritivo deste alimento”, acrescenta.

Devemos então comer ovos todos os dias? As nutricionistas são unânimes: o segredo para uma dieta equilibrada está na variedade. “Normalmente não recomendo a ingestão de um alimento em particular todos os dias”, diz Beth Warren, que aconselha a criar ‘ciclos’ de três dias para variar a alimentação.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×