19/11/18
 
 
Jorge Gabriel.“Sou menos de comer e mais de conversar”

Jorge Gabriel.“Sou menos de comer e mais de conversar”

José Sérgio Jornal i 16/08/2018 13:56

Passa férias há pelo menos uma década em Porto Santo e não se importava de ter a companhia do Papa Francisco. Jorge Gabriel respondeu ao inquérito de verão do i e partilhou momentos de infância... Como a famosa birra durante as férias no Estoril

Verão é sinónimo de... 

Porto Santo. É onde estou neste preciso momento.

Conte-nos quais foram as suas melhores férias.

As minhas férias de infância, que eram passadas em casa de familiares em Fanhões (Loures), e as férias que passei nas Maldivas e em Porto Santo, onde já passo férias há uma década.

E as piores?

Numa ocasião fui para o Estoril passar férias com os meus pais. Tinha quatro ou cinco anos. O meu pai sentou-se inadvertidamente em cima dos meus óculos de sol e partiu-os. Aquilo foi um drama que deu direito a birra até tarde - como é que eu podia ir para a praia sem os meus óculos de sol?! É uma famosa birra que todos os natais se conta. 

Praia de eleição?

Porto Santo, sem sombra de dúvida! São nove quilómetros de praia. Eles atribuíram nomes a partes da praia mas, para mim, a praia do Porto Santo é toda ela, desde o porto de abrigo até à Calheta. 

A que horas vai para a praia?

Depende muito das horas de sono da criançada. Se se levantarem mais cedo, vamos mais cedo. Evito ir por volta da hora do almoço.

Faz desporto ou exercício físico durante as férias? Qual?

Jogo golfe e, quando calha, jogo uma quadra de voleibol de praia ou, quando se juntam mais amigos, jogamos futebol.

Qual é a melhor bola de Berlim?

É uma boa pergunta! Para mim é uma de alfarroba que se come aqui em Porto Santo.

Que marisco não prescinde nesta época?

Eu não tenho nenhuma comida pela qual corra atrás. A única que tem esse efeito em mim - e é quase anual - é a lampreia e não é na altura do verão. Não corro atrás de nenhum marisco, de nenhum peixe. Gosto de estar à mesa mas para conviver, sou menos de comer e mais de conversar. 

Férias é sinónimo de mais fotografias no Instagram ou de estar em modo offline durante dias?

Eu faço exatamente a mesma coisa. Gosto imenso de tirar fotografias ao longo do ano e no verão as redes sociais servem exatamente para o mesmo. 

Qual o objeto que leva sempre consigo na bagagem?

Obrigatório é óculos de sol. 

Com que figura pública gostaria de ir de férias e porquê?

Eu acho que o Papa Francisco precisava de umas férias. Nem que fosse uma semana aqui em Porto Santo. Eu acho que ele ia adorar estar por aqui. 

Se encontrar o Marcelo Rebelo de Sousa na praia pede para tirar uma selfie?

Nós já tirámos, portanto não lhe pedia. Já disse ao professor Marcelo que agora as selfies mudaram de designação: chamam-se “marselfies”. 

Filme, livro e música que levava para uma ilha deserta?

Filmes levava o ‘Caçador’ [de Michael Cimino]. Quanto ao livro, optava por algum dos mais recentes do padre Tolentino Mendonça. Na música levava a obra completa do Mozart.

O que não faz enquanto está de férias?

Ter horários rígidos semelhantes aos que tenho no meu quotidiano. Evito ao máximo. Só tenho a hora de saída para jogar golfe.

Qual a viagem que ainda não fez e não pode deixar de fazer?

Japão, Austrália, Nova Zelândia, Havai, tudo sítios longe. Islândia é o sítio mais próximo que eu adorava ir.

Vai cometer excessos nestas férias? Por exemplo, embebedar-se loucamente?

Isso para mim não faz qualquer sentido. Nunca fez nem quando era miúdo, muito menos agora com filhos. Talvez o único excesso é comer alguns doces a mais do que os que como no meu dia-a-dia.
 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×