22/9/18
 
 
Benfica-PAOK. Águia encontra adversário de memórias felizes no play-off

Benfica-PAOK. Águia encontra adversário de memórias felizes no play-off

DR Laura Ramires 16/08/2018 08:51

É a terceira vez que os encarnados vão medir forças com os gregos na história das competições europeias. Até hoje, o registo é favorável ao clube da Luz

O Benfica está a um pequeno passo de juntar-se ao FC Porto na fase final da Liga dos Campeões. Mas para os encarnados se tornarem a segunda equipa portuguesa a marcar presença nesta edição da prova, os comandados de Rui Vitória ainda têm que ultrapassar um último obstáculo: os gregos do PAOK.

O emblema helénico é o adversário da águia no play-off milionário, que tem a primeira mão agendada já para a próxima terça-feira (21), no Estádio da Luz, e a segunda no dia 29 deste mês, na Salónica.

Até hoje, a história tem sido feliz para a equipa portuguesa. Nos quatro encontros que já protagonizou com o clube da Salónica na história das competições europeias, o registo é favorável ao Benfica, que em ambas as ocasiões conseguiu vencer a eliminatória com um saldo de quatro vitórias.

A última vez que os dois clubes cruzaram caminho foi na temporada 2013/14, em jogo dos 16 avos de final da Liga Europa. Depois de vencer em solo grego, por 1-0, os encarnados, na altura sob o comando de Jorge Jesus, confirmaram o seu favoritismo em casa, com uma vitória sem margem para dúvidas (3-0).

De recordar ainda que foi nesse ano que o Benfica chegou à final da prova europeia, perdida nas grandes penalidades (4-2) para os espanhóis do Sevilha. Depois de eliminar o PAOK, e até chegar ao jogo derradeiro, a águia deixou ainda pelo caminho os ingleses do Tottenham (5-3), nos oitavos-de-final, os holandeses do Alkmaar (3-0), nos ‘quartos’ e os italianos da Juventus (2-1) na partida da meia-final.

Antes, mais precisamente quinze anos antes deste último encontro, acontecia o primeiro confronto entre Benfica e PAOK. Corria o ano de 1999 quando o clube português e o grego marcaram encontro na 2.ª ronda da então denominada Taça UEFA. No jogo da 1.ª mão, realizado na Grécia, as águias venceram por 2-1. Depois da vitória encarnada, arrancada a ferros no jogo de estreia entre as duas equipas, a emoção havia de aumentar na Luz. Os gregos conseguiram copiar o resultado alcançado pelas águias e empurrar a eliminatória para a decisão através da marca dos onze metros. Valeu o malogrado Robert Enke que, com duas defesas, garantiu a vitória da equipa portuguesa nas grandes penalidades (4-1) após o 3-3 verificado no agregado das duas mãos.

Ao contrário do caminho de sucesso percorrido em 2014, em 1999 o resto da história não foi risonha. Depois de afastar o PAOK, a águia marcou encontro com o Celta de Vigo. A 25 de novembro de 1999, a equipa espanhola seria responsável pela maior derrota da história da equipa portuguesa nas competições europeias: 7-0.

Apesar de ser efetivamente a terceira vez que as duas equipas se encontram nas provas da UEFA, esta será, porém, a primeira vez que vão medir forças na Liga dos Campeões.

O Paok atual O clube helénico chegou a esta fase da competição após ter terminado no segundo lugar do campeonato grego, no qual foi uma das principais surpresas da temporada transata ao terminar à frente do Olympiacos e a seis pontos do primeiro lugar, ocupado pelo AEK. Além da boa época desenvolvida na principal competição daquele país, o emblema capitaneado pelo português Vieirinha conquistou ainda a Taça grega, com um golo do lateral, no triunfo por 2-0, contra... o campeão em título, AEK de Atenas.

O clube helénico chegou ao play-off, recorde-se, depois de ter afastado os russos do Spartak Moscovo na terceira pré-eliminatória. Antes, na segunda pré-eliminatória havia batido sem dificuldades o Basileia.

Com a ambição de chegar à fase final da Champions, Vieirinha garantiu que a sua equipa não receia o Benfica: “Não quero que as atenções estejam apontadas só a mim, mas a todos os jogadores do PAOK. Já provámos ser uma equipa forte. Não receamos nenhum adversário. O Benfica vai ser difícil, mas temos o sonho de garantir a presença na fase de grupos”.

Em jogo, além do lugar garantido que o vencedor terá na fase de grupos da Champions, estão também mais de 40 milhões de euros.

 

os milhões em jogo O apuramento para o play-off da Liga dos Campeões garantiu ao Benfica um mínimo de 7,92 milhões de euros em prémios. Se passar o PAOK e garantir o passaporte para a fase final da prova, não irá entrar no cofre da águia esse montante, mas sim a quantia verdadeiramente desejada pelo clube da Luz: os 42,95 milhões de euros, referentes a prémios de qualificação atribuídos pela UEFA aos clubes que conseguirem a passagem para esta fase final. No caso do FC Porto, único emblema português com a presença na fase final assegurada, os dragões têm desde logo garantido um prémio de quase 45 milhões de euros, apenas pela entrada direta do clube na fase final da prova.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×