17/11/18
 
 
Guia. Seja turista na cidade que ganhou o óscar de melhor destino citadino

Guia. Seja turista na cidade que ganhou o óscar de melhor destino citadino

Para facilitar na hora de organizar a agenda, o i deixa algumas sugestões. Esta semana dizemos-lhe o que há de melhor na cidade de Lisboa. Não se esqueça que para a semana há mais

“Lisboa menina e moça menina” já canta Carlos do Carmo, mas a a verdade é que a capital está recheada de locais para visitar. Museus, galerias, castelos, monumentos, praças, jardins, miradouros, bairros históricos ou modernos são algumas das várias coisas que não pode perder se estiver a visitar a cidade de Lisboa. 

E o sucesso tem sido tão grande que, mais uma vez, a capital ganhou recentemente o prémio de Melhor Destino Citadino da Europa e, pelo terceiro ano consecutivo, conseguiu o galardão como Melhor Porto de Cruzeiros. Nesta competição, Lisboa ficou à frente de Amesterdão, Barcelona, Londres, Paris, Roma e Veneza - um feito inédito. Já no final do ano passado tinha sido distinguida nos “óscares” como Melhor Destino Mundial para City Break.

A oferta turística é vasta: Lisboa romana, manuelina, barroca, romântica, literária, boémia, noturna, a cidade do fado. E as formas de a visitar também: a pé, de elétrico, de segway, em autocarro hop-on-hop-off, num tuk-tuk, entre muitas outras variedades.

Há locais obrigatórios que não pode perder, como os bairros históricos de Alfama e do Castelo, com uma das vistas mais fabulosas sobre a cidade e o rio. Passar pela Baixa em direção a Belém - com a Torre de Belém e o Mosteiro dos Jerónimos, ambos Património Mundial - é outro passeio imperdível. 

E como verdadeira cidade europeia que é não deixe de conhecer o Chiado, ao final do dia, e o Bairro Alto, como polos de animação garantida. Assim como o Cais do Sodré, mais próximo do rio.

Mas a parte nova da cidade também não pode ser esquecida. Um dos espaços já emblemáticos da cidade é o Parque das Nações, a zona portuária que foi completamente reconstruída para a Exposição Universal de 1998. É hoje um espaço de lazer importante, com uma nova paisagem urbana.

 

 

JARDINS

Jardins a perder de vista

Do Jardim da Estrela a Monsanto, espaços verdes não faltam na cidade de Lisboa e a dificuldade será mesmo a escolha. Deixamos aqui algumas das várias experiências por que pode optar.

 

Experiências:

•  O Jardim da Gulbenkian, construído na década de 60, é provavelmente um dos espaços mais icónicos de Lisboa, projetado pelo arquiteto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles. Pode encontrar aqui diversos tipos de animais e uma flora diversificada, tendo um lago, riachos, terraços ajardinados, trilhos por entre arvoredos e até um anfiteatro ao ar livre onde nas noites mais quentes se podem ver concertos e espetáculos.

•  O Jardim do Campo Grande, agora batizado com novo nome - Jardim Mário Soares -, acaba de ser renovado. Além dos tradicionais passeios de barco, conte com novos percursos, mais de 100 novas árvores, restauração do lago, recuperação das piscinas e um novo parque infantil. 

 •  O Parque do Monsanto, com mil hectares, é o principal pulmão da capital portuguesa, o maior parque florestal português e um dos maiores europeus. Inclui espaços lúdicos que proporcionam aos habitantes e visitantes várias atividades, tais como desportos radicais, caminhadas, atividades ao ar livre, peças de teatro, concertos, feiras, exposições e vistas únicas sobre a cidade de Lisboa e concelhos limítrofes, o estuário do rio Tejo e o oceano Atlântico.

 •  A escolha não pode acabar sem o Jardim da Estrela, plantado no coração da cidade.

 

MUSEUS

Perca-se num verdadeiro passeio cultural 

Museus recentes, outros de paragens históricas: siga este pequeno roteiro e fique com vontade de conhecer muito mais.

 

Por onde começar:

•  Museu Coleção Berardo: inaugurado em 25 de junho de 2007, acolhe exposições temporárias e uma coleção permanente (Coleção Berardo), representativa da arte moderna e contemporânea, nacional e internacional.

•  Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia - MAAT: a nova proposta cultural para a cidade de Lisboa. Um museu que cruza três áreas num espaço de debate, de descoberta, de pensamento crítico e de diálogo internacional. Um projeto inovador que coloca em comunicação um novo edifício, desenhado pelo ateliê de arquitetura Amanda Levete Architects, e a Central Tejo, um dos exemplos nacionais de arquitetura industrial da primeira metade do séc. XX e um dos polos museológicos mais visitados do país. 

•  Museu dos Coches. Trata-se de uma coleção única no mundo e agora respira melhor desde que, em 2015, passou para um novo edifício na Avenida da Índia. 

 

Outros destaques:

Casa Fernando Pessoa A casa onde Pessoa viveu os últimos 15 anos de vida não é um museu, mas uma casa de autor onde é possível visitar a reconstituição do seu quarto, a sala multimédia e a biblioteca especializada em poesia mundial. Na parede, o contrato de arrendamento é o original: 14 escudos /mês. Fica em Campo de Ourique. 

 

 

MIRADOUROS

O melhor é lavar as vistas com estas vistas únicas

 

Lisboa tem 19 miradouros oficiais, todos com vistas que merecem destaque. Ficam sobre os telhados da cidade e permitem ver alguns dos monumentos mais imponentes, o Tejo, a Ponte 25 de Abril ou a outra margem. Depois, também há os que não são oficiais. Todos valem a pena. 

 

Locais a não perder:

•  O Miradouro das Portas do Sol, junto ao Castelo de São Jorge, é um dos mais conhecidos. É um ótimo local para se deixar ficar descontraído a ver o Tejo e todos os monumentos do bairro de Alfama. 

•   O Miradouro de Nossa Senhora do Monte é também um local que merece visita. É o ponto mais alto de Lisboa e há quem garanta que não há miradouro mais romântico na capital portuguesa. 

•  O Miradouro de São Pedro de Alcântara é outra das hipóteses que tem. Fica no topo do Elevador da Glória e mesmo ao lado do Bairro Alto. Tem quiosque com esplanada e um vista que abrange o rio, o Castelo de São Jorge, a Sé e a Graça.

•  No Miradouro da Graça, poucos conhecem o verdadeiro nome do local que estão a pisar. Chama-se Miradouro Sophia de Mello Breyner Andresen e agrada a todos por ser um dos locais onde melhor se aprecia Lisboa.

 

Outros destaques:

Bairros históricos Muitos destes miradouros estão localizados em bairros históricos que merecem ser visitados. Além destes espaços com vistas únicas, aproveite para explorar as ruas de locais como Alfama, Graça ou Bairro Alto. 

 

VISTA PARA O RIO

O encanto mora à beira do Tejo

Se ainda pertence ao grupo dos que não amam olhar para o Tejo, temos uma lista de várias razões para mudar rapidamente de ideias. O Tejo é um daqueles vícios que nenhum lisboeta pretende largar tão cedo. E mesmo quem não é da capital não poupa nos elogios.   

 

Sugestões:

•  Toda a zona junto ao Tejo, principalmente de Santa Apolónia até Belém, convida a boas caminhadas. No entanto, pode optar por andar muito, mas sempre sentado. Basta escolher ir sentado num sitway. Pode alugar por 25 euros junto ao Padrão dos Descobrimentos.

•  O Parque das Nações é uma outra zona que vale a pena escolher nesta altura. Além de todas as opções, que vão desde o centro comercial aos bares e restaurantes, tem muito por onde passear, sempre com uma vista emprestada pelo Tejo. 

•  A zona da Ribeira das Naus é outra opção para quem gosta de estar junto ao rio. É ainda a escolha perfeita para quem gosta de aproveitar este que é um dos melhores sítios da cidade para ver o Tejo de copo na mão. 

•  Em Belém pode aproveitar para passear com a desculpa perfeita para ver vários monumentos únicos, como o Padrão dos Descobrimentos. Claro que não há como fugir à oportunidade de ir aos famosos Pastéis de Belém.  

•  Se gosta de andar de bicicleta, esta zona junto ao rio é ideal para apostar em pedalar durante um bom tempo. No final pode aproveitar para explorar a zona junto ao Museu da Eletricidade e ao MAAT. 

 

 

GASTRONOMIA

Apaixone-se pelos paladares 

A começar na sardinha assada e acabando nos Pastéis de Belém, Lisboa tem uma gastronomia tão convidativa como a própria cidade.

 

O que não pode perder:

•  Para os apreciadores de marisco, a Cervejaria Ramiro é considerada um ponto de paragem obrigatória. Sempre cheia e com fila à porta (não aceita reservas), é daqueles sítios que agrada a turistas e a locais. 

•  Para quem gosta de bacalhau, então a escolha tem de recair na Casa do Bacalhau, em Lisboa. Instalado nas antigas cavalariças do Palácio dos Duques de Lafões, um edifício do séc. XVIII junto ao Convento do Beato, apresenta uma ementa com 30 maneiras de cozinhar bacalhau.

•  Grande variedade de locais, do Minho ao Algarve, do interior ao litoral - não é preciso sair de Lisboa para experimentar os melhores sabores da cozinha portuguesa.

 

Outras experiências:

Caracóis: São, sem dúvida, algo a provar. Encontrará doses de diversos tamanhos em várias petisqueiras, pequenos restaurantes familiares e alguns cafés por um preço razoável. 

Pastéis de nata: São uma das mais populares especialidades da doçaria portuguesa. Embora se possam saborear pastéis de nata em muitos cafés e pastelarias, a receita original é um segredo exclusivo da Fábrica dos Pastéis de Belém. Tradicionalmente comem-se ainda quentes, polvilhados com canela e açúcar em pó.

 

ESPLANADAS

Escolha o melhor de copo na mão

 

Há para todos os gostos e nada sabe melhor do que poder aproveitar o fim do dia, em boa companhia, com uma vista de cortar a respiração e de copo na mão. A capital portuguesa é rica em alternativas quando o assunto são esplanadas, mas não só. Não queremos saber se lhe chama terraço ou se pertence ao grupo dos que dizem rooftop - o que sabemos é que há locais que tem mesmo de conhecer. 

 

Sítios a descobrir:

•  Veio o verão e, com ele, a possibilidade de passar umas horas no Clube Ferroviário, que agora tem uma nova decoração: há plantas tropicais, sofás e almofadas confortáveis e a vista de sempre sobre a parte industrial da cidade e o Tejo.

•  Basta dirigir-se ao Centro Cultural de Belém, encontrar o elevador e deixar-se ir até ao terceiro andar. Tem restaurante, com pratos de Ricardo Benedito, e um bar no terraço onde pode experimentar cocktails que valem a pena. 

•  Imagine juntar um restaurante, piscina e ainda uma vista deslumbrante sobre o rio Tejo. O resultado vai ser SUD Lisboa. Podemos garantir que quer fique numa mesa ou à beira da piscina, vai gostar.

•  No Rooftop Bar, do Hotel Mundial, vai encontrar uma panorâmica de 360 graus sobre a Baixa pombalina e o Castelo de São Jorge, com o rio Tejo como fundo. 

•  O Sky Bar é conhecido pelo encanto de ficar no último piso do Hotel Tivoli. Não é preciso dizer muito mais para que perceba que é um ótimo sítio para beber um copo ao fim do dia, com um DJ a animar as tardes de verão.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×