15/11/18
 
 
Cerco a Mário Machado trama motards mais perigosos do mundo

Cerco a Mário Machado trama motards mais perigosos do mundo

Megaoperação da PJ terminou ontem com 56 arguidos. Autores do ataque no Prior Velho, em março, foram todos detidos à exceção de um finlandês

Foi uma cilada montada pelos Hells Angels ao grupo de Mário Machado, há cinco meses, num restaurante em Loures, que desencadeou a operação desta quarta-feira com que a Polícia Judiciária (PJ) caiu em força sobre aquele grupo de motards, considerados os mais perigosos do mundo. Além da apreensão de muitas armas de fogo de vários calibres, nomeadamente revólveres, e de cocaína, a PJ deteve todos os elementos, portugueses e estrangeiros, que atacaram o antigo líder dos skinheads, à exceção de um finlandês para o qual foi emitido um mandado de captura internacional.

Para o raide policial da madrugada de ontem, considerado de alto risco, a PJ levou mais de 400 homens para o terreno, numa operação liderada pela Unidade Nacional Contra o Terrorismo (UNCT). Os inspetores foram divididos em 80 equipas que, pelas sete da manhã, foram varrendo sucessivamente casas, sedes e estabelecimentos relacionados com “Os Fora da Lei”, como se autointitula o grupo Hells Angels. Foram constituídos 56 arguidos, num inquérito que no Ministério Público está a ser conduzido pelos procuradores da República João Melo e Vítor Magalhães, do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Suspeitos de se financiarem através da prática de crimes – como tráfico de armas e de drogas, extorsão, tráfico de mulheres para prostituição e envolvimento em esquemas ilegais de segurança privada a estabelecimentos de diversão noturna –, os Angels disputam território com o grupo rival Los Bandidos, liderado em Portugal por Mário Machado, e estão há mais de uma década sob o olhar atento da UNCT. Esta unidade da PJ, que acompanha estes fenómenos ligados à extrema-direita e aos motards, já em 2008 desferira um rude golpe nos skinheads, com uma investigação que acabou com a condenação de Mário Machado e seis dos seus membros por vários crimes, entre os quais sequestro, roubo e discriminação racial.

Com a detenção dos rivais liderados por Mário Machado, os Angels conquistaram-lhes território e reforçaram posições em áreas como o tráfico e os esquemas de segurança privada nos negócios da noite. Desligados de qualquer ideologia política, o grupo que tem origem nos EUA assenta numa forte hierarquia e recrutou homens entre os próprios skinheads, elementos com percurso feito em forças militares especiais e temperamento alicerçado em valores como fidelidade e obediência.

Mário Machado, por seu turno, que enquanto cumpriu pena de prisão fez o curso de Direito e começou a forjar um novo partido – a Nova Ordem Social (NOS) –, fortaleceu entretanto a sua ligação a Los Bandidos, tendo criado os Red&Gold, o braço português destes últimos. Terá sido um encontro agendado entre Mário Machado e alguns elementos de topo de Los Bandidos que levou os Angels a montar-lhes uma cilada.

Em março deste ano, num sábado, enquanto representantes europeus de Los Bandidos almoçavam com os portugueses, resguardados num restaurante do irmão de Mário Machado, no Prior Velho, cerca de 20 elementos dos Angels, encapuzados, invadiram o local e caíram sobre os rivais, atacando-os com facas, paus e barras de ferro. Entre as seis vítimas que em muito mau estado foram internadas no Hospital de Santa Maria encontrava-se o líder de Los Bandidos na Alemanha.

Mário Machado escapou por pouco. Atrasado, o líder português chegou ao local e, ao dar conta das motos e carrinhas do grupo rival que bloqueavam as entradas da rua onde se situa o restaurante do irmão, manteve-se afastado. Só quando os outros fugiram, já com a polícia no terreno, é que o líder do partido nacionalista regressou ao local. Confrontado pelos jornalistas que ali acorreram, Machado respondeu com um gesto – passou com a mão rente ao pescoço, evocando a imagem de uma decapitação – e uma promessa: “Nesta festa, vocês com certeza vão ter muito para falar no futuro!”

Faro seria palco de ataque

Esta rixa deixou as autoridades em alerta. A UNCT entrou logo em campo para apanhar os fugitivos e evitar represálias. Em conjunto com o SIS e outras forças de segurança passaram a monitorizar os elementos da organização, que foram colocados sob escuta e apertada vigilância. Rapidamente se percebeu que os Angels não ficaram à espera que Mário Machado cumprisse a sua promessa e começaram de imediato a preparar um novo ataque ao grupo rival, indo inclusive buscar reforços a outros grupos-satélite. Com a aproximação da Concentração Internacional de Motards, que se realiza entre 19 e 23 de julho próximos em Faro, no Algarve, a UNCT, para evitar os novos desacatos que estavam a ser planeados, decidiu fechar o cerco aos Angels, numa operação inédita com mais de 400 inspetores e 56 arguidos.

Guerra antiga

Mas há vários anos que Mário Machado e os Hells Angels vivem em clima de guerra aberta. Um dos momentos mais violentos envolveu Pedro Silva, um membro dos Hells Angels conhecido como “Thor”. O chefe dos Nomads – fação que pertence ao grupo de motards – no Algarve recusou-se a receber formação de um grupo de skinheads daquela região. Esta história chegou aos ouvidos de Mário Machado, que decidiu rumar ao Algarve para pedir explicações. Já no sul do país, “Thor” recusou-se a dialogar com Mário Machado, que reagiu dando-lhe um tiro numa perna – crime do qual acabou por não ser acusado, uma vez que nestes grupos impera a regra do silêncio. Mas o episódio nunca caiu no esquecimento – a rixa no Algarve terá sido também uma das razões que levaram os Hells Angels a atacar Los Bandidos no restaurante no Prior Velho.

História de violência

Os Hells Angels estão em Portugal desde 2002 e desde essa época que as autoridades seguem os seus passos. Fundado nos anos 40 nos Estados Unidos da América, o seu percurso ligado ao crime faz com que sejam considerados os motards mais temidos do mundo.

Em Portugal são vários os episódios de violência associados a este bando. Em 2009, um dos membros dos Hells Angels de nacionalidade alemã foi detido no Algarve, onde permanecia escondido desde que fora emitido um mandado de captura internacional pelo assassinato de um elemento de um gangue rival no seu país.

No ano seguinte, o Tribunal de Sintra condenou seis membros do grupo de motards a cinco anos de prisão com pena suspensa pelos crimes de sequestro, roubo, ofensa à integridade física, coação e extorsão a um antigo membro dos Hells Angels. Tudo aconteceu em 2005, quando os seis homens invadiram a casa deste antigo membro. A vítima foi obrigada a ceder os direitos do domínio da internet usado pelos Hells Angels e ficou sem uma mota Harley Davidson. Para além disso, foi obrigado a pagar oito mil euros em dinheiro.

Em 2013, 12 membros deste grupo de motards, que têm na sua génese o ódio às autoridades, foram constituídos arguidos por atacarem, sem qualquer razão, elementos das forças de segurança que estavam de folga e também participavam na Concentração de Motards de Faro.

Ontem, com a atuação da UNCT, foi desferido um golpe do qual dificilmente o grupo recuperará.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×