5/8/21
 
 
Mistério. Afinal, porque é que nenhum terramoto consegue derrubar a Torre de Pisa?

Mistério. Afinal, porque é que nenhum terramoto consegue derrubar a Torre de Pisa?

Shutterstock Beatriz Dias Coelho 22/05/2018 20:05

Um grupo de investigadores revelou a resposta para um mistério que há tanto tempo pairava nas cabeças da comunidade científica: com terramotos tão fortes e uma estrutura inclinada, como é que a Torre de Pisa continua de pé?

Há muito que o motivo da sua inclinação de quase quatro graus deixou de ser mistério – deve-se ao tipo de terreno onde está assente. Mas porque é que a Torre de Pisa nunca caiu durante os terramotos que têm atingido a região, apesar da sua inclinação, é algo que sempre intrigou engenheiros, e que agora – 845 anos volvidos do início da sua construção – parece finalmente ter resposta.

Uma equipa de 16 investigadores liderada por um professor da Universidade Roma Tre, e que integra também um especialista em engenharia sísmica e em dinâmica estrutura-solo da Universidade de Bristol, dedicou-se a fundo à questão e concluiu que o mistério se deve a um fenómeno que dá pelo nome de interação dinâmica estrutura-solo (dynamic soil-structure interaction, em inglês): trocando por miúdos, a Torre de Pisa não cai devido à conjugação da sua altura – 50 metros – e da sua rigidez com a suavidade do solo onde se situa, combinação essa que resulta na modificação substancial das características vibratórias da estrutura, ao ponto de não sofrer com a vibração do solo provocada pelos terramotos.

Tudo fica mais curioso considerando que, desde 1280, ocorreram na região de Pisa quatro terramotos especialmente intensos que seriam teoricamente suficientes para causar estragos à Torre.

O estudo teve em conta fatores sismológicos, geotécnicos e estruturais. “Ironicamente, o mesmo solo que causou a inclinação e pôs a Torre à beira de um colapso é responsável por ajudá-la a sobreviver aos terramotos”, disse o investigador George Mylonakis da Universidade de Bristol, num comunicado divulgado pela instituição.

Esta conclusão é apenas um vislumbre da investigação dos especialistas, que só será formalmente apresentado na 16.ª Conferência Europeia sobre Engenharia Sísmica, que decorre entre 18 e 21 de junho, em Salónica, a segunda maior cidade grega.

Uma história quase milenar Mede 54,5 metros, pesa 14,500 toneladas, tem oito andares e mais ou menos degraus consoante as escadarias, não se sabendo ao certo a quem pertence a autoria do projeto inicial. A Torre de Pisa começou a ser construída em 1173, parte da Catedral da cidade, e é nela que estão guardados os sete sinos do templo. Quanto à inclinação, foi provocada logo em 1178, quando se edificava o terceiro andar, pelo abatimento do solo.

Arrancaram então várias intervenções para corrigir o defeito e a construção prosseguiu, mas a solução encontrada – construir os andares seguintes com uma altura maior – acabou por resultar numa inclinação ainda mais notória.

A construção não foi contínua e enfrentou várias paragens. Curioso é que houve mesmo quem acreditasse que a inclinação fazia parte do plano inicial.

De resto, a inclinação foi aumentando ao longo do tempo. Já no século xx, em 1990, as autoridades italianas decidiram encerrar a Torre para intervir diretamente na estrutura por baixo do solo e travar a inclinação. Foi reaberta em 2001, com a garantia de que viria a resistir aos 300 anos seguintes.

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×