20/11/18
 
 
6 razões para ser mãe a tempo inteiro

6 razões para ser mãe a tempo inteiro

Shutterstock Joana Marques Alves 15/05/2018 18:00

Ok, o bebé nasceu. E agora? Ficar em casa a tratar da criança ou voltar ao trabalho e apostar na carreira? Este dilema surge na cabeça de milhares de mulheres em todo o mundo. É verdade que nem todas podem fazer uma opção, mas para as que têm essa possibilidade existe agora uma forma de tomar uma decisão. Aqui ficam seis razões para ficar em casa e ser uma mãe a tempo inteiro:

1 – As crianças ficam em forma: Um estudo da Universidade Cornell mostra que as mães que ficam em casa passam mais três horas e meia do que todas as outras a preocuparem-se com a alimentação e a saúde dos seus filhos. Para além disso, os ‘cozinhados caseiros’ e a disponibilidade para irem ao parque ou fazerem caminhadas também ajudam a manter as crianças em forma – actividades que as mães que trabalham não têm tanto tempo para fazer como os filhos.

2 – Ficam menos vezes doentes: Já a investigação feita por académicos da Universidade de Montreal mostra que as crianças que ficam em casa adoecem menos vezes. Todos sabemos que os infantários estão cheios de germes (o que é normal, basta um menino ficar doente para o ‘bicho’ se espalhar rapidamente), mas os factos podem surpreendê-la: as crianças que vão para a escola antes de completarem dois anos e meio têm mais problemas respiratórios, auditivos e gastrointestinais do que as que ficam em casa.

3 – São menos ‘stressados’: Os infantários são muito úteis… mas caóticos também. Um estudo da Universidade do Minnesota descobriu que as crianças que andam no jardim de infância têm um maior nível de cortisol (uma hormona ligada aos níveis de stress) na saliva do que as que ficam em casa e, consequentemente, maiores níveis de stress.

4 – São mais inteligentes: Encham-se de orgulho, mães a tempo inteiro: Os vossos filhos são mais inteligentes do que aqueles que andam na creche. Este é o resultado de um estudo da Universidade de Columbia. Os investigadores observaram 1000 crianças norte-americanas e chegaram à conclusão que aqueles que ficavam em casa tinham níveis de inteligência ligeiramente mais elevados do que os que andavam no infantário. Ah, e esta diferença aplica-se também aos alunos do primeiro ano.

5 – Serão grandes desportistas: Calma, não pense que ele é o próximo Cristiano Ronaldo ou um futuro Nani. Mas as crianças que passam a infância em casa com as mães têm, segundo um estudo publicado no Journal of Epidemiology and Community Health, uma maior habilidade e gosto pelos desportos colectivos. 

6 – São uns ‘anjinhos’: Todas as crianças fazem birras de vez em quando, mas, de acordo com uma investigação do National Institute of Child Health – que demorou 10 anos a estar concluído! –, as crianças que passam mais de 30 horas no infantário desenvolvem maiores problemas comportamentais. “Falar alto”, “discutir” e “andar à luta” são alguns dos problemas que estes meninos têm. Isto não quer dizer que uma criança que fique em casa com a mãe também não tenha problemas semelhantes, mas segundo a investigação estes estão mais presentes em meninos que frequentam creches.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×